Dedicação total e intensa

Luciana Lira revela que apesar do trabalho ser intenso, a equipe técnica trabalha com muita dedicação e carinho

Comentar
Compartilhar
26 MAR 201518h09

Luciana Lira revela que apesar do trabalho ser intenso, a equipe técnica trabalha com muita dedicação e carinho. É como se nascessem para servir o próximo. "É um trabalho delicado, que exige atenção aos detalhes. Observamos sinais, alterações de comportamento dos acolhidos. Alguns falam com dificuldades, outros não falam. Isso tudo demanda vínculo. Nosso trabalho se assemelha ao de cuidadores, só que com alto grau técnico", explica.

Crédito: Luiz Torres/DL


Ela dá como exemplo o caso de Paulo Henrique dos Santos Reis, de 21 anos, que mora no Lar desde 2001. Ele é o único que permanece o tempo todo acamado. Os demais utilizam cadeiras de rodas. "Ele tem problemas de visão, uma pressão intracraniana muito forte, se alimenta por intermédio de equipamentos, enfim, exige muita atenção de todos nós, principalmente de nossa nutricionista", afirma.
 
A profissional ressalta que existe uma equipe de reabilitação que promove grupos diários de estimulação oral, sensorial. "Graças a emendas parlamentares, conseguimos adquirir computadores. Desenvolvemos uma série de alternativas de comunicação para facilitar a vida dos acolhidos. Todos entendem perfeitamente o que se fala e o que se passa ao redor", completa Luciana.
 
Segundo a profissional, conhecimento técnico se adquire. A prática vem com o tempo, "mas para desenvolver o vínculo é muito difícil e exige muito amor", finaliza.