Algarve e suas lindas praias

Que tal conhecer algumas das mais belas praias da Europa e nem precisar em se preocupar com a língua?

Comentar
Compartilhar
04 JUN 2017Por Da Reportagem16h00

É isso mesmo, basta fazer uma viagem ao Algarve, um cantinho português que é considerado um dos pontos turísticos mais importantes de Portugal. 

Todos os anos, milhares de visitantes aterrissam por lá. Trata-se de um patrimônio natural que está sendo aproveitado de forma sustentada, dando origem a espaços de qualidade aptos a responder a diferentes necessidades. Praias para todos os gostos, na maioria, reconhecidas com a chancela europeia da “Bandeira Azul”. Ao longo de cerca de 200 quilômetros, a costa algarvia divide-se em enseadas, falésias, grutas, praias rochosas e amplos areais. Praias de diferentes formas e tamanhos, banhadas por águas límpidas, tépidas e tranquilas. Irresistível também é o clima ameno que se vive por lá ao longo de todo o ano. Entre Odeceixe e Vila Real de Santo Antônio, toda a faixa litoral desfruta de um microclima de características mediterrâneas em que as temperaturas variam entre os 15º, no Inverno, e os 30º no Verão. As praias do Algarve constituem, assim, a escolha ideal para umas férias revigorantes.
Região portuguesa com o maior número de praias, o Algarve oferece excelentes propostas para férias em família, ao longo do ano. Num convite irrecusável à descontração, muitas das praias da região têm condições excepcionais para o convívio entre gerações – seja em animados passeios para a descoberta de tesouros; construir castelos de areia; dar as primeiras braçadas nas piscinas naturais; ou usufruindo dos equipamentos de diversão.
Ao cumprir os exigentes critérios que garantem a qualidade das águas, as boas condições de segurança e os requisitos de proteção ambiental, o Algarve mantém límpidas as águas das praias e as areias sem lixo ou sujeiras, tornando-se numa referência de férias tranquilas e inesquecíveis. 
As praias do Algarve tem uma estrutura que proporciona conforto ao turista. As praias oferecem restaurantes, cafés e estacionamentos. Assim acontece em Odeceixe, Arrifana, Ferragudo, Carvoeiro, Albufeira, Quarteira, Manta Rota e Monte Gordo entre muitas outras.
Com origem em falésias imponentes, suaves areais, a região algarvia tem uma costa sempre surpreendente, mesmo para o visitante mais assíduo.
A diversidade da Natureza é, definitivamente, uma das maiores riquezas do Algarve. Facilmente o visitante pode movimentar-se nas diferentes nuances de um mesmo mundo. Do litoral a serra algarvia, há toda uma diversidade possível de exploração. Na orla costeira, o turista se encanta com uma variada biodiversidade – desde aves com seus ninhos, aos moluscos e crustáceos que representam a principal fonte de rendimento dos marisqueiros do sul – convida a uma observação mais atenta durante agradáveis caminhadas. Longe das extensas praias, o verde mistura-se com as tonalidades castanhas da terra na vasta extensão do Barrocal, que abre as portas de outro Algarve aos visitantes, coberto de laranjais e de pomares de figo, alfarroba e amêndoa. É também lá que há trilhas por desbravar. Léguas de paisagens de características geológicas especiais – xisto e rocha aparentada ao granito – para serem desfrutadas na calmaria da serra, entre amigos ou em família. 
Muito mais do que praias magníficas e um clima abençoado, o Algarve tem para oferecer aos turistas um riquíssimo patrimônio cultural e histórico que vale bem a pena partilhar com os prazeres do Sol e do Mar. Ou então dedicar-lhe um tempo próprio.
Porque no Algarve há hábitos seculares, tradições ainda vivas e patrimônio histórico que podem ser usufruídas ao longo de todo o ano. Desde modos tão particulares de celebrar ocasiões festivas (como a Páscoa, o Natal ou a Primavera) até testemunhos edificados de épocas antigas e recentes, passando, naturalmente, pelas irresistíveis iguarias que fazem a gastronomia da região, os algarvios deixaram, ao longo dos séculos, um legado tão precioso que se impõe conhecer intimamente.
Não deixe de visitar o Castelo de Silves que se localiza no ponto mais alto da colina sobre a qual assenta a povoação de Silves. Este castelo monumental de cor vermelha foi edificado pelos árabes no Século XI e é, na atualidade, um dos castelos mais bem conservados de toda a região do Algarve. O seu interior oferece fantásticas vistas panorâmicas sobre a vila. Simplesmente inesquecível!
Conhecer a cozinha regional algarvia é obrigatório para quem visita o local. Simultaneamente rica de sabores e simples de confecção, a gastronomia do Algarve, à semelhança de tudo o resto, tem as suas raízes em tempos e cotidianos longínquos e absorveu influências diversas.
Por ser terra de pescadores virada para o Atlântico, os peixes e mariscos desempenham papel protagonista nesta cozinha. Nestes casos, as melhores receitas provêm dos pescadores que, ao longo de séculos aperfeiçoaram a melhor forma de conservar os sabores naturais – grelhando-os lentamente no carvão. Mas não só. Há várias receitas em que os frutos do mar são deliciosamente confeccionados com a ajuda das ervas aromáticas, especiarias e outros sabores. A mais famosa é a de Amêijoas na Cataplana, recipiente de cobre de origem islâmica, especialmente eficaz na conservação dos aromas. Mas não é só do mar que vêm as influências. Toda a região interior dotou a gastronomia algarvia de maravilhosas receitas baseadas em hortaliças, plantas silvestres e carne proveniente dos pastos do local.
Internacionalmente famosos, os doces são de comer e pedir mais! Não há quem resista ao sabor e aspecto das guloseimas divinamente confeccionadas com amêndoas, figos, laranjas e alfarrobas, as quais são adicionados açúcar e ovos.
Famosa também é a aguardente de Medronho, os licores de frutos e os vinhos da região.
Trata-se de um legado riquíssimo, cada vez mais possível de ser apreciado em restaurantes ou típicos bares por toda a região.
Durante o ano inteiro, as praias, as reservas naturais, as aldeias típicas, os campos de golfe, os castelos e as fortalezas do Algarve apresentam-se em todo o seu esplendor. De dia ou de noite, se pode fazer quase de tudo ou, se preferir, não fazer absolutamente nada. A história, a cultura, a gastronomia popular oferecem-se sem esforço a quem as quiser conhecer.
Os algarvios contam com muitos séculos de convivências com outras culturas e estão habituados desde sempre a acolher quem os visita. Talvez seja por isso que, do Algarve, se levam sempre boas recordações e muitas saudades.