X
Santos

Ação conscientiza mais de 200 pessoas sobre a anemia falciforme em Santos

Na Praça Mauá, a equipe mediu a pressão arterial e a glicemia dos moradores. Os que tiveram alteração nos testes foram encaminhados a unidades de saúde

A equipe da ação também ofereceu testes de glicemia e aferição de pressão arterial / Divulgação/ PMS Nathalia Filipe

Mais de 200 pessoas foram atendidas durante a ação sobre anemia falciforme, na Praça Mauá, no Centro de Santos, nesta segunda-feira (25). A ação ocorreu em alusão ao Dia Nacional de Luta pelos Direitos das Pessoas com Doenças Falciformes, lembrado em 27 de outubro.

Além da panfletagem e do esclarecimento de dúvidas em relação à anemia falciforme, a equipe da ação também orientou e forneceu encaminhamentos a unidades de saúde para pessoas que apresentaram alteração durante os testes de glicemia e aferição de pressão arterial. 

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Hereditária, a anemia falciforme é uma doença do sangue que altera os glóbulos vermelhos. Os principais sintomas são a anemia crônica, icterícia (cor amarelada na pele e no branco dos olhos), síndrome mão-pé (inchaço doloroso nas regiões dos punhos e tornozelos) e crises dolorosas (principalmente em ossos, músculos e articulações).

"A comunidade negra tem mais tendência a sofrer de diabetes e pressão alta, bem como de anemia falciforme. Porém, também são condições encontradas em outras etnias em razão da miscigenação. A doença falciforme é uma condição que até mesmo alguns profissionais da área da saúde desconhecem, por isso é importante conscientizar todos", explica o coordenador de Promoção de Igualdade Racial e Étnica (Copire), Ivo Miguel Evangelista.

Quem aproveitou para checar a saúde foi a aposentada Josefa Maria de Menezes, de 74 anos. Ela estava passando pelo local com o marido e resolveu medir a pressão e realizar o teste de glicose. "A enfermeira disse que está tudo certo, graças a Deus. Eu até tenho um exame de diabetes marcado, mas já fiz antes para conferir. Foi ótimo, elas foram muito atenciosas".

O agente de correios João Carlos dos Santos Neto, de 47 anos, que já realiza a aferição de pressão arterial diariamente para monitorar a hipertensão, viu a oportunidade de fazer também o teste de glicemia, além de receber um informativo em relação à anemia falciforme. "Eu já sabia da doença antes, mas muitas pessoas não conhecem. Essa ação facilita para que as pessoas se informem a respeito".

A conscientização foi realizada pela Coordenadoria de Promoção de Igualdade Racial e Étnica (Copire) e pelo Conselho Municipal da Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra e de Promoção da Igualdade Racial, com apoio da Secretaria de Saúde de Santos (SMS) e suporte da Escola de Enfermagem El Shaday.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Brasil

Governo: Mário Frias contrata por quase R$ 4 milhões empresa sem licitação e sem funcionários

A sede da empresa seria uma caixa postal em um escritório virtual a 2.400 km do Rio de Janeiro

Polícia

Corregedoria investiga aparição de pênis de borracha em academia da PM

A academia do Barro Branco tem aproximadamente 660 cadetes, além de cerca de 140 funcionários

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software