Média de benefícios do INSS é de R$ 1,1 mil na Baixada Santista

Mais de 90% de segurados do INSS ganham benefício de até R$ 2 mil no País. E 712 mil ganham menos que o mínimo

Comentar
Compartilhar
18 AGO 201318h54

A aposentadoria no Brasil continua sendo um castigo para milhões de segurados do INSS que sempre contribuíram pelo teto previdenciário, e também um meio de sobrevivência para mais de 16 milhões de pessoas que tiveram suas contribuições baseadas no salário mínimo, principalmente no setor rural.

É que a maioria dos aposentados do País ganha menos da metade do teto do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que hoje é de R$ 4.159,00. Segundo estatística do Ministério da Previdência Social, nove em cada dez aposentados ou pensionistas ganham benefício menor do que R$ 2 mil.

Isto significa, com base Mais de 90% de segurados do INSS ganham benefício de até R$ 2 mil no País. E 712 mil ganham menos que o mínimo raio x das aposentadorias nas estatística de junho, que quase 24 milhões de segurados de um total de 26,2 milhões, recebem menos da metade do teto. Em Santos, a média de pagamento para segurados é de R$ 1.153,89.

Existem mais de 26 milhões de segurados do INSS, sendo 336 mil na Baixada, que recebem aposentadorias, pensões ou algum tipo de benefício (Foto: Matheus Tagé/DL)

A Gerência Executiva do INSS em Santos controla o pagamento mensal de 336,6 mil beneficiários, no total de R$ 388,4 milhões. Essa gerência controla o atendimento da agência em Santos e das unidades em Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Registro, São Vicente, Praia Grande e Miracatu.

Os números previdenciários levam em conta os benefícios urbanos e também os rurais. Destes, a grande maioria recebe o piso mínimo nacional (R$ 678,00). Essa faixa representa 16.412.881 segurados do INSS.

Se, por um lado, existem esse batalhão de pessoas que ganham apenas o salário mínimo, existem ainda os que ganham menos que o piso nacional. O INSS diz que são quase 713 mil e que isso é possível devido a serem beneficiários de pensões que são divididas entre dois ou mais segurados, ou caso de trabalhadores com jornada menor, o que faz reduzir os benefícios abaixo do mínimo.

É difícil, mas alguns segurados ganham acima do teto do INSS

Se existem os segurados que ganham menos que o piso nacional também há os que ganham acima do teto previdenciário, o que não é mais possível pela legislação em vigor.

São mais de 7 mil benefícios em todo o País, dois deles acima de R$ 20 mil. Segundo o Ministério da Previdência Social, tratamse de segurados que foram beneficiados por legislações anteriores, ou que foram contemplados por sentenças e decisões judiciais, como ex-combatentes, aposentados da aeronáutica, anistiados políticos e pensionistas de anistiados políticos.

O teto atual da Previdência Social é de R$ 4.159,00, o que representa pouco mais de seis salários mínimos. Para receber o valor máximo pago pelo INSS, os segurados devem estar contribuindo há vários anos pelo valor máximo e ter um Fator Previdenciário positivo de 1,2, ou seja: terá que ter ainda 62 anos de idade e contribuído cerca de 44 anos para o INSS.

Colunas

Contraponto