Mais de 2 milhões morrem por ano devido a doenças do trabalho

Dados da Organização Internacional do Trabalho(OIT) indicam que a cada 15 segundos um trabalhador morre em todo Mundo por acidente de trabalho ou por doença profissional

Comentar
Compartilhar
12 MAI 201411h13

Uma triste estatística, revelada na semana passada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) revela a insegurança que domina o Mundo do Trabalho.  Os dados foram divulgados pela Previdência Social, no último dia 28, data em que se comemora  o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho.

Dados da entidade internacional apontam que a cada 15 segundos um trabalhador morre por acidentes ou doenças relacionadas ao trabalho

O INSS divulgou também dados estatísticos referentes as suas despesas com os acidentes e doenças profissionais no País. A soma, atinge  R$ 16 bilhões em 11 anos.

No dia 28 de abril de 1969, uma explosão numa mina no estado norte-americano da Virginia matou 78 mineiros. Em 2003, a Orga¬nização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu a data como o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. Neste dia são cele¬brados eventos no mundo todo para a conscientização dos trabalha¬dores e empregadores quanto aos riscos de acidentes no trabalho. A data foi instituída no Brasil pela Lei nº 11.121/05.

 Os afastamentos do trabalho acabam  em auxílios doenças ou acidentários nos postos do INSS (Foto: Arquivo/DL)

Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), divulgados em 2013, têm-se:

• 2,02 milhões de pessoas morrem a cada ano devido a enfermidades relacionadas com o trabalho.
• 321 mil pessoas morrem a cada ano como consequência de acidentes no trabalho.
• 160 milhões de pessoas sofrem de doenças não letais relacionadas com o trabalho.
• 317 milhões de acidentes laborais não mortais ocorrem a cada ano.
• A cada 15 segundos, um trabalhador morre de acidentes ou doenças relacionadas com o trabalho.
• A cada 15 segundos, 115 trabalhadores sofrem um acidente laboral.

Os dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT) colocam o Brasil como quarto colocado no ranking mundial de acidentes fatais de trabalho.

O informe do INSS traz algumas evidências quantitativas, perspecti¬vas e análises que ajudam a entender o atual estágio de adoecimen¬to, afastamentos e repercussão financeira dos mesmos para o Estado brasileiro. Ademais aponta nos grandes números os eixos temáticos para fins de formulação de politica pública e aprimoramentos operacio-nais por parte do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Pode ser acessado no site previdência.gov.br.

Despesas de 16 bilhões

No Brasil, o número também tem crescido, segundo aponta os números da Previdência Social, cuja despesa, em benefícios do INSS atinge quase 16 bilhões de reais em benefícios previdenciários e acidentários (Auxílio Doen¬ça e Aposentadoria por Invalidez) no período de 2000 a 2011.
Em se tratando de Auxílio Doença, aproximadamente 90% do que o INSS desembolsa para os segurados e/ou dependentes são para o pagamento dos benefícios da espécie B31 (Previdenciário).
 

Colunas

Contraponto