Banner gripe

Greve no transporte de Guarujá é remarcada para o dia 8

800 trabalhadores da Translitoral resolveram aguardar novas negociações

Comentar
Compartilhar
02 JUL 201410h59

A greve dos 500 motoristas e 300 empregados de manutenção, fiscalização e escritórios da Translitoral - empresa responsável pelo transporte coletivo de Guarujá - agora poderá ser a partir de terça-feira, dia 8. Inicialmente, ela estava marcada para ontem. Depois, por causa de imposições da lei de greve (7783-1989), foi transferida para sexta-feira, dia 4. Mas a assembleia de segunda-feira, que lotou o salão social do sindicato dos servidores, achou melhor programá-la a próxima semana, por conta das novidades nas negociações.

Conforme o sindicato da categoria, a assembleia avaliou audiência de instrução, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP), que fez uma proposta conciliatória. Como a empresa não se posicionou sobre a proposta da Justiça do Trabalho até o momento da assembleia, os trabalhadores autorizaram o sindicato dos rodoviários a continuar negociando.

O TRT já deixou marcada nova audiência de instrução e conciliação para a próxima segunda-feira, dia 7. Até lá, o sindicato investirá nas negociações com a empresa. A Translitoral, empresa do grupo Sobral, transporta cerca de 75 mil passageiros por dia, em 177 ônibus e micro-ônibus, distribuídos em 30 linhas urbanas, com tarifa de R$ 2,90.

Na audiência, o TRT propôs 7,4% de reajuste linear para todos os empregados, mas sem incorporar a dupla função do motorista (de R$ 283,00) que é a principal bandeira da categoria, que ainda quer 8% de aumento. Não se sabe se coincidência, ou não, mas a empresa também está reivindicando 8% de aumento à Prefeitura de Guarujá. Se isso ocorrer, a tarifa do ônibus poderá ser reajustada de R$ 2,90 para R$ 3,10.

Na tarde da última quinta-feira, dia 26, a Advocacia Geral do Município (AGM) de Guarujá notificou extrajudicialmente a Translitoral. A Administração quer que a empresa apresente providências concretas quanto à possível paralisação do serviço na Cidade. Com a medida, a Administração Municipal visa a continuidade do serviço, de modo a resguardar os direitos dos usuários e trabalhadores.

Greve poderá afetar cerca de 75 mil usuários de ônibus (Foto: Luiz Torres/DL)

Rabo do Dragão

Membros da comissão de moradores e trabalhadores da região do Rabo do Dragão (que se estende por toda a Rodovia Ariovaldo Viana, em Guarujá) reúnem-se amanhã, às 15 horas, com representantes da Prefeitura, para resolver definitivamente o problema de falta de ônibus na região.

A população quer o retorno de quatro veículos durante o dia e mais um no período noturno – entre meia noite e meia e seis da manhã - e uma linha direta para evitar baldeação. A Administração já revelou que a possibilidade está descartada, via Diário Oficial, o que pode causar uma nova manifestação na estrada, como ocorreu há cerca de um mês. 

Paralisação também atinge Peruíbe

Em Peruíbe, continua a paralisação de seis dos 20 ônibus municipais da empresa Intersul. A greve parcial foi iniciada no último dia 30, por tempo indeterminado. Não há negociação prevista com o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Santos e Região, que decretou a greve no final da tarde do último dia 27.

Também não há audiência de instrução e conciliação nem julgamento da greve pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP). A empresa tem cerca de 100 empregados, entre motoristas, cobradores e pessoal de manutenção.

Com data-base para renovação do acordo coletivo em maio, os motoristas têm salário de R$ 1.306,00 e reivindicam elevação para R$ 1.500,00. Eles também querem vale-refeição de R$ 400,00 por mês.

Na semana retrasada, a empresa oferecia 8% nos salários e no vale-refeição, mais plano de saúde para empregado e não os dependentes. Na sexta-feira, ela manteve os 8%, mas retirou o plano de saúde reivindicado pelos trabalhadores.

Colunas

Contraponto