Banner gripe

Continua greve nas empreiteiras no Polo industrial de Cubatão

Junto com eles, permanecem parados 3.200 trabalhadores de outras 11 empreiteiras

Comentar
Compartilhar
14 MAI 201420h08

Em assembleia na manhã desta quarta-feira (14), os 4.800 operários do consórcio Tomé & Technip, que presta serviços à Refinaria Presidente Bernardes de Cubatão (RPBC Petrobrás), decidiram continuar em greve.

Junto com eles, permanecem parados 3.200 trabalhadores de outras 11 empreiteiras. Por outro lado, 6 mil empregados de 25 terceirizadas fizeram acordos e voltaram ao trabalho.

Às 7 horas desta quinta-feira (15), os grevistas participarão de assembleias, diante das empresas a quem prestam serviços, para saber se há novas contrapropostas.

A assembleia desta quarta-feira recusou a contraproposta que já havia descartado na terça-feira: 10% de correção salarial, vale-refeição de R$ 20 por dia, participação nos lucros ou resultados (plr) de 1,3 salário e pagamento dos dias parados.

A categoria reivindica aumento real de 10% acima do INPC dos 12 meses anteriores à data-base de maio, correspondente a 5,62%. Na manhã desta quarta-feira (14), participarão de nova assembleia, no mesmo local.

Assembleia foi realizada na manhã desta quarta-feira (Foto: Vespariano Rocha)

Negociar

O presidente do sindicato, Macaé Marcos Braz de Oliveira, espera que as empresas atendam as reivindicações: “Eu gostaria de colocar contraproposta nesse sentido, em assembleia, para normalizar a situação”.

O departamento jurídico do Sintracomos também espera resolver a situação de forma negociada, sem necessidade de julgamento da greve pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP).

Na segunda-feira (12), os grevistas haviam recusado correção salarial de 8%, vale-refeição de R$ 19 por dia ou R$ 418 mensais, ‘plr’ de 1,3 salário e pagamento dos dias de greve.

Na semana passada, as empreiteiras ofereciam correção de 6,62%, aplicados nos salários e benefícios, também rejeitada pelos trabalhadores. O TRT chegou a propor, conciliatoriamente, 7,12%.

Acordos

O sindicato já fez acordo com 25 empreiteiras, que empregam cerca de 6 mil trabalhadores. As 12 empreiteiras ainda paralisadas, somando a Tomé & Technip, têm outros 8 mil empregados em greve.

As empreiteiras que fizeram acordos são Alvarez e Muniz, Brasmil, Comau, Crimontec, Egassignato, Engepro, Eqserv, Geplan, Ideal, Imc Saste, Industec, Isotec, Itororó, Kajiwara, Manserv, MCE, Meta, Mus, Nobre, Perfecta, Pinturas Ypiranga, Potencial, Realtec, Walb e WRM.

Os acordos feitos garantiram correção salarial de 10%, vale-refeição de R$ 20 por dia, ‘plr’ de 1,3 salário e pagamento dos dias parados.

Colunas

Contraponto