Casal é mantido refém dentro de caminhão em tentativa de roubo

As vítimas foram rendidas enquanto descansavam no Macuco. Um dos ladrões foi detido em flagrante pela Guarda Portuária após o caminhão ser localizado, no Paquetá

Comentar
Compartilhar
16 JUN 201511h28

Um casal de Minas Gerais que transportava uma carga de soja em um caminhão foi mantido refém por assaltantes, na madrugada de ontem, em Santos. Um dos ladrões foi detido em flagrante pela Guarda Portuária na Rua João Pessoa, no Paquetá, logo após o caminhão ser localizado. Outros dois bandidos conseguiram escapar. A carga de soja, avaliada em R$ 36.621,67, não chegou a ser violada.

O trio rendeu as vítimas quando elas descansavam na Rua Rodrigo Silva, no Macuco, após a viagem. O motorista e a companheira foram colocados na cama da cabine e o bandido posteriormente preso conduziu o veículo até a Avenida Perimetral. No trajeto até o Paquetá os acusados perguntaram insistentemente se a carga era de café. O motorista negou e exibiu a nota fiscal que mostra que a carga é de soja.

Na Rua João Pessoa os bandidos decidiram parar o caminhão para conferir se não havia café na carga. Pouco depois, a Guarda Portuária, acionada por uma pessoa, chegou ao local e deteve um dos ladrões enquanto ele corria.

Morador do Jardim São Manoel, na Zona Noroeste de Santos, o acusado foi encaminhado para a Central de Polícia Judiciária (CPJ), onde foi autuado em flagrante. Posteriormente, ele teve como destino a cadeia anexa ao 5º Distrito Policial de Santos (Bom Retiro).

De acordo com a polícia, o único pertence subtraído foi o celular do motorista.

Guarujá

Uma manicure de 30 anos foi vítima de sequestro relâmpago na madrugada de ontem após ter a casa invadida por uma quadrilha formada por três homens e duas mulheres.
Após subtrair diversos pertences e o equipamento de monitoramento da casa, os bandidos levaram a vítima no carro dela até a Favela da Prainha. Os bandidos tentaram fazer saques enquanto ela era mantida refém e a libertaram após não conseguirem efetuar as transações. A Delegacia Sede de Guarujá investiga o caso. 

Colunas

Contraponto