Canil Municipal é referência no atendimento de animais abandonados

Equipamento público tem capacidade para abrigar até 200 cães e gatos, que além de atendimento veterinário, recebem tratamento contra vermes, são vacinados e castrados

Comentar
Compartilhar
03 SET 201317h15

Os trabalhos do Centro de Controle de Zoonose da Prefeitura de Guarujá vão além do controle de doenças. Há tempos o Canil São Lazaro vem se transformando referência no atendimento de animais abandonados da Cidade. O espaço público serve de abrigo para cães e gatos, que, além de cuidados de saúde, recebem carinho até que consigam um lar. Mesmo os animais com donos recebem atendimento na unidade, como vacinação, castração, exames pré-operatórios e de sangue.

Em 2011, a unidade, instalada na Rua Professora Maria Lídia Rego Lima, nº 301, no Jardim Conceiçãozinha, passou por uma reforma e agora aguarda ampliação para atender a demanda de animais abandonados.

Em relação à vacinação, a Vigilância em Saúde promove ações constantes nos bairros. Para quem optar por procurar o Centro de Controle de Zoonose, o atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 14 às 17 horas. O proprietário do animal deve sempre ficar atento às datas de vacinação. A partir dos três meses de idade, o animal deve receber vacina antirrábica regularmente.

Espaço mantém serviço permanente para adoção de animais (Foto: Pedro Rezende/PMG)

No último sábado (31), a ação atendeu os bairros Morrinhos I (Escola Jacirema dos Santos), Morrinhos II (Escola João de Oliveira), Vila Edna (Regional) e Cachoeira – Avenida Tancredo Neves, próximo à creche José Antonio Ferranti.

Castração: um cuidado com a saúde do animal

A castração é uma medida eficiente para reduzir o número de animais sem lar, assim como prevenir doenças nas fêmeas. Guarujá é a única Cidade da região a oferecer o procedimento gratuitamente. A castração é feita por veterinários da Prefeitura.

Segundo especialistas, a castração precoce das fêmeas, ou seja, antes do primeiro cio, reduz em até 95% as chances do animal apresentar tumor de mama na fase adulta, visto ser um tipo de tumor hormônio dependente (hormônio produzido pelos ovários); previne o aparecimento de piometra (doença causada pelo acúmulo de pús dentro do útero, que, se não tratada a tempo, pode levar a fêmea a morte), metrite, tumor de ovário e útero, TVT (tumor venéreo transmissível) e pseudociese (gravidez psicológica), além de evitar a ocorrência de gravidez indesejada e, consequente, abandono de ninhada.

Para agendar a castração ao Centro de Controle Zoonoses, o dono do animal deve comparecer a unidade portando RG, carteirinha de vacinação antirrábica do animal em dia e comprovante residência. Se o animal passou mais de um ano sem receber a vacina, a Zoonoses regulariza a situação para que proprietário possa agendar a castração. Para realizar o agendamento da cirurgia não é preciso levar o animal apenas a documentação. O horário para o cadastro é das 14 às 17 horas, de segunda a sexta-feira.

No dia da cirurgia o animal deve estar em bom estado de saúde, livre de parasitas como pulgas, carrapatos e sarna. Além disso, devem ficar em jejum prévio de 12 horas e as fêmeas não podem estar grávidas. O proprietário deve respeitar o horário da cirurgia, que foi marcado no cadastro, pois a tolerância é de 15 minutos. Em média são agendadas 20 castrações por dia, chegando a média de procedimentos por mês. Cada munícipe pode castrar no máximo dez animais, entre cachorros e gatos.

O Município realiza o serviço de castração desde 1999, quando foi firmado Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), entre Prefeitura, Promotoria do Meio Ambiente e protetores de animais. Com esse compromisso, a Cidade assumiu inúmeras responsabilidades em relação à saúde animal.

Cuida e devolve – Outra atividade realizada pelo Centro de Controle de Zoonoses tem como objetivo capturar animais sem dono, que vivem nas ruas. Porém, de acordo com o TAC, cabe ao Município tratar, medicar, castrar, vacinar e devolvê-lo ao seu local de origem. É importante a população saber que os animais encontrados nos bairros têm a garantia de continuar em seu lugar de vivência. Apenas os animais encontrados nas praias não são devolvidos no mesmo lugar.

A Vigilância em Saúde também recebe denúncia de maus tratos contra animais, os munícipes podem avisar a unidade sobre qualquer tipo de crueldade ou negligencia com os animais pelo telefone 3387-7197.

Adoção – O Centro de Controle Zoonoses foi criado para prevenção da raiva, controle de roedores e insetos. O canil, que tem capacidade de abrigar até 200 animais, também é aberto para adoção de cães e gatos, filhotes ou adultos. Sempre no último sábado do mês acontece a feira de adoção de animais. Para levar um cão ou gato para casa é possível ainda ir ao Canil, que também é um posto permanente de vacinação.