X

Política

Ministro do STJ nega novo recurso de Lula para reverter condenação

A defesa do ex-presidente pediu para ser revertida a condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, sentença originalmente proferida pelo ex-juiz Sergio Moro, futuro ministro da Justiça do governo Jair Bolsonaro.

Folhapress

Publicado em 24/11/2018 às 16:01

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). / Divulgação

Em mais uma derrota para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ministro Felix Fischer, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), rejeitou recurso do petista, que questionava a condenação no caso do tríplex, no âmbito da Operação Lava Jato.

A decisão do ministro foi monocrática, isto é, individual.

A defesa do ex-presidente pediu para ser revertida a condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, sentença originalmente proferida pelo ex-juiz Sergio Moro, futuro ministro da Justiça do governo Jair Bolsonaro.

A pena imposta a Lula, confirmada e agravada em segunda instância pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), foi estabelecida em 12 anos e um mês de prisão.

O ex-presidente está preso desde abril em Curitiba. A defesa, que já tivera outros pedidos negados no TRF-4, poderá recorrer à 5ª turma do STJ.

OUTRAS AÇÕES

Nesta sexta (23), Lula tornou-se réu em mais um caso, sob a acusação de ter integrado uma organização criminosa que atuou no esquema de corrupção da Petrobras, junto com a ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Segundo a denúncia, apresentada em setembro do ano passado pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao STF (Supremo Tribunal Federal), os dois ex-mandatários tiveram participação num esquema montado para coletar propinas de R$ 1,48 bilhão entre 2002 e 2016.

Lula também é réu em mais duas ações em fase avançada na Justiça Federal do Paraná. Na ação do sítio de Atibaia, ele é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro por meio de reformas e benfeitorias bancadas pelas empreiteiras OAS e Odebrecht na propriedade rural que ele frequentava no interior de São Paulo.

Ele também é acusado de ser beneficiado pela Odebrecht mediante a compra de um terreno para o Instituto Lula, em São Paulo.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Sabesp interrompe abastecimento de água em bairros de São Vicente

Serviços podem interferir no fornecimento nesta semana e na próxima

RODOVIAS

Consórcio Litoral Paulista vence leilão de concessão do Lote Paulista

Evento aconteceu na manhã desta terça-feira (16)

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter