X

Política

Haddad diz que vai 'criar condições' para nova Constituição

O candidato do PT à Presidência confirmou que será convocada uma Assembleia Constituinte Exclusiva

Folhapress

Publicado em 28/09/2018 às 22:20

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Haddad desconversou ao ser questionado sobre a possibilidade de fechar alianças com o MDB / Divulgação/Fotos Públicas

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, disse nesta sexta-feira (28) que vai trabalhar para criar as condições de redigir uma nova Constituição, como previsto em seu plano de governo, caso seja eleito.

Em vista a Goiânia, o presidenciável confirmou que, em um eventual governo Haddad, será convocada uma Assembleia Constituinte Exclusiva. No entanto, ele não detalhou a proposta, que, segundo disse, sofreu alterações no texto.

"Isso já foi mediado. Quando o PCdoB passou a integrar a chapa, houve uma alteração no texto para criar as condições da convocação de uma assembleia exclusiva".

Haddad desconversou ao ser questionado sobre a possibilidade de fechar alianças com o MDB e de algum nome da sigla ocupar ministério, caso ele seja eleito. "Todos serão bem-vindos, desde que concordem com as ideias que estamos apresentando", afirmou. "Antes de discutirmos nomes e partidos, temos que convocar o país para discutir os projetos".

O candidato também não quis se manifestar sobre o nome que será escolhido para ocupar o Ministério da Fazenda, em um eventual governo Haddad. "Não vou discutir isso agora". A decisão deve ser divulgada só depois do início do segundo turno, como publicou a Folha de S.Paulo, para tentar diminuir a desconfiança do mercado.

O presidenciável evitou fazer críticas à Polícia Federal e ao Ministério Público ao ser perguntado sobre a operação que aponta o ex-governador de Goiás e candidato ao Senado, Marconi Perillo, como chefe de esquema de pagamento de propina. A operação foi deflagrada nesta sexta-feira (28).

No caso de operações realizadas pela Promotoria, Haddad disse que o CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) é que deve julgar a conveniência de abrir uma investigação sobre eventual partidarismo por parte dos integrantes da carreira. "Promotor não pode fazer política. Tem de fazer justiça". 

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Guarujá

Hora de aprender! Guarujá abre vagas para curso de maquiagem

Vagas estão sendo administradas pelo Fundo Social da cidade

Itanhaém

Bronze em dia! Vacas são vistas caminhando na praia de Itanhaém

Animais foram flagrados andando pela praia de Bopiranga

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter