X

LUTO NA LITERATURA

Ziraldo, criador do 'Menino Maluquinho', morre aos 91 anos

Ele é considerado um dos artistas mais influentes da história do País

Leonardo Sandre

Publicado em 06/04/2024 às 16:26

Atualizado em 13/04/2024 às 16:47

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Ziraldo morreu aos 91 anos / Divulgação/Marcelo Correa

Um dos maiores nomes da literatura brasileira, Ziraldo Alves Pinto morreu aos 91 anos, na zona sul do Rio de Janeiro.

Siga as notícias do Diário do Litoral no Google Notícias

Siga as notícias do Diário do Litoral no Google Notícias

Ele é considerado um dos artistas mais influentes da história do País, e se destacou por criar O Menino Maluquinho e centenas de outros personagens.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

O escritor e cartunista teria morrido em casa, enquanto dormia, por volta das 15h deste sábado (6).

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Trajetória

Também tendo exercido as funções de chargista, caricaturista e jornalista, Ziraldo foi um dos fundadores nos anos 1960 do jornal “O Pasquim”, um dos principais veículos a combater a ditadura militar no Brasil. 

Com textos ácidos, ilustrações debochadas e personagens inesquecíveis, como o Graúna, os Fradins ou o Ubaldo, o semanário entrou na luta pela democracia.

Um dia após a instalação do AI-5, baixado em 13 de dezembro de 1968, Ziraldo foi detido em casa e levado para o Forte de Copacabana.

Leitor assíduo desde a infância, teve seu primeiro desenho publicado quando tinha apenas seis anos de idade, em 1939, no jornal “A Folha de Minas”. 

Começou oficialmente a carreira 1950, na revista “Era uma vez...”. Em 1954, passou a fazer uma página de humor no mesmo “A Folha de Minas” em que havia estreado.

Passou também por diversas outras revistas, como “A Cigarra”, “O Cruzeiro” e “Jornal do Brasil”. Em 1958, casou-se com Vilma Gontijo, sua namorada havia sete anos. Tiveram três filhos, Daniela, Fabrizia e Antônio.

Ele realizou o sonho de se tornar autor de histórias em quadrinhos e publicou a primeira revista brasileira do gênero com um só autor, sobre a “Turma do Pererê”. Os personagens eram um pequeno índio e vários animais que formam o universo folclórico brasileiro, como a onça, o jabuti, o tatu, o coelho e a coruja. Contudo, a revista deixou de ser publicada em 1964.

Em 1969, publicou seu primeiro livro infantil, “FLICTS”. E, a partir de 1979, passou a se dedicar à literatura para crianças.

Seu maior sucesso, “O Menino Maluquinho”, saiu em 1980. É considerado um dos maiores fenômenos do mercado editorial brasileiro em todos os tempos.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nacional

Conheça o novo vírus mayaro, que provoca febre, dores e pode chegar na área urbana

Cientistas da Unicamp, USP, Imperial College de Londres e Universidade de Kentucky (EUA) pedem medidas urgentes de vigilância epidemiológica a fim de evitar avanço da doença

Santos

Restaurante e patrimônio gastronômico de Santos, Sideral completa 60 anos

Localizado no número 562 da Avenida Francisco Glicério, o hoje restaurante foi fundado originalmente na Rodrigues Alves

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter