MASSACRE

Tailândia: ex-policial mata 38 em creche, incluindo mulher, filho e a si mesmo

Entre as vítimas estão 25 crianças; ainda não se sabe a motivação do ataque

Joe Silva

Publicado em 06/10/2022 às 11:31

Atualizado em 06/10/2022 às 11:32

Comentar:

Compartilhe:

Ataques desta natureza são raros na Tailândia / Arquivo/Agência Brasil

Tailandeses estão em choque com um dos maiores massacres ocorridos no País em anos. Um ex-policial entrou em uma creche e abriu fogo matando 38 pessoas, incluindo 25 crianças, nesta quinta-feira (6).

Segundo um porta-voz da polícia tailandesa, crianças de 2 anos foram mortas a facadas pelo assassino. O texto conta com informações do "g1". 

O caso aconteceu por volta da hora do almoço em Uthai Sawan, uma pequena cidade dentro da província de Nong Bua Lamphu, a 500 quilômetros de Bangkok.

O homem chegou ao local atropelando funcionários. Depois, desceu do carro, já abrindo fogo contra outros trabalhadores da instituição e invadiu uma sala trancada onde crianças descansavam, procurando pelo seu filho, que era aluno da creche. Sem encontrar o menino, ele esfaqueou outras crianças e professores da escola.  Uma das professoras estava grávida de oito meses.

Ainda de acordo com a polícia tailandesa, o assassino voltou para sua casa, matou a mulher e o filho a tiros e tirou a própria vida.

O ataque deixou outras 12 pessoas feridas, incluindo crianças. As vítimas foram hospitalizadas e ainda não havia informações sobre o estado de saúde delas até a última atualização desta matéria.

A motivação do crime ainda não está clara para as autoridades locais.

 

"Ele já estava muito estressado, e, quando não conseguiu encontrar seu filho, começou a atirar", afirmou o porta-voz da polícia local à rede de TV ThaisPBS.

 

O homem foi identificado como Panya Khamrab, um ex-policial que havia sido desligado das funções há cerca de um ano por envolvimento com drogas. Horas antes do ataque, ele havia comparecido a um tribunal local para responder por posse e uso de narcóticos. 

Os investigadores já sabem que a arma usada no crime em série foi obtida de forma ilegal. Ainda não se sabe se o assassino estava sob o efeito de drogas nesta quinta-feira.

Casos de tiroteios são raros na Tailândia. O primeiro-ministro do país, Prayuth Chan-Ocha, se pronunciou sobre o ataque.

 

"Ordenei ao chefe de polícia que se desloque imediatamente ao local para tomar as medidas necessárias e todas as partes envolvidas para prestar socorro imediato a todas as pessoas afetadas", disse, em um comunicado.

 

Nos últimos três anos, apenas um outro ataque deste tipo ocorreu no País, que considera incomuns os crimes em série com armas. 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Câmara

Em Brasília, deputados debatem pedágio free flow e mais agilidade nas rodovias

Recentemente, o Ministério dos Transportes colocou em consulta pública uma proposta para regulamentar o free flow em vias urbanas e rurais

Cultura

Praia Grande receberá três espetáculos gratuitos; veja quando

A Cia. Repentistas do Corpo se apresentará nos dias 19 e 20 de julho

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter