X

DECISÃO CONTROVERSA

Senadores querem trabalhar no Congresso 3 dias por semana

Pela decisão só serão votados projetos às terças, quartas e quintas, com a possibilidade de uma semana de home office; entenda

Bruno Hoffmann

Publicado em 02/03/2023 às 11:27

Atualizado em 02/03/2023 às 11:33

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Senado Federal, em Brasília / Roque de Sá/ Agência Senado

Os senadores decidiram nesta semana, após a folga estendida de Carnaval, se autoconceder semanas mais curtas de trabalho, com atuação obrigatória em Brasília apenas às terças quartas e quintas-feirras. Haveria ainda uma espécie de semana de home office mensal.

Segundo o jornal "O Estado de S. Paulo", a determinação, com aval do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), define que só serão votados projetos às terças, quartas e quintas. Segundas e sextas terão sessões não deliberativas.

Isso significa que os parlamentares não precisarão trabalhar nesses dois dias, pois não será considerado falta.

Os senadores também instituíram o mês de três semanas. Com isso, na última semana do mês o trabalho será remoto e "com pauta tranquila". Na prática, o senador só precisará trabalhar nove dias num mês em Brasília.

Esse "home office" só será possível, agora segundo a "CNN", se, nas primeiras três semanas de cada mês, o Senado conseguir liquidar temas mais polêmicos.

Assim, possibilitaria que os senadores fiquem em suas bases eleitorais e não precisem vir a Brasília na última semana do mês.

O salário atual dos senadores é R$ 39,2 mil, mas o valor irá saltar para R$ 41,6 mil a partir de abril. O reajuste foi definido no fim do ano passado.

Outra visão

Segundo a doutora em ciência política Beatriz Rey, especialista em política legislativa do Núcleo de Estudos sobre o Congresso (NECON), do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da UERJ, porém, menos dias no Congresso não significam necessariamente que o senador está trabalhando menos.

Conforme a doutora, há várias dimensões do trabalho legislativo, e a atuação na produção de leis é uma delas. Outras são a atuação na representação federalista, na base eleitoral e na fiscalização do Executivo.

"Ou seja: quando o parlamentar não está no plenário, ele está trabalhando em outra dimensão da atividade legislativa já que o trabalho em plenário é apenas UMA das coisas que ele faz em Brasília e UMA das coisas que ele faz no seu mandato", escreveu ela, pelo Twitter.

Leia:

 

 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Diário Mais

Mau presságio? Branqueamento de corais pode ser sinal da morte dos oceanos; entenda

Estruturas são a base do Oceano

Cotidiano

Biquíni com casaco? Litoral de SP terá sol nos próximos dias, mas sem calor

Apesar da presença constante do sol, as máximas não passam dos 23 graus

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter