Brasil

Rio de Janeiro sofre com chuvas, há vários mortos e família inteira soterrada em Paraty

Ao todo, 22 bairros foram atingidos por alagamentos e outras ocorrências ligadas às chuvas

FOLHAPRESS

Publicado em 02/04/2022 às 16:00

Atualizado em 02/04/2022 às 20:23

Compartilhe:

Moradora do bairro Campo Grande (RJ) postou foto da sua varanda com rua inundada / Facebook/Luisa Oliveira dos Santos

Subiu para 14 o número de pessoas que morreram após as fortes chuvas que atingem o estado do Rio de Janeiro desde a última quinta-feira (31). Seis delas são da mesma família e foram vítimas de um deslizamento em Paraty (a 240 km da capital).

A Prefeitura de Paraty disse que sete casas foram atingidas pelo deslizamento na comunidade costeira da Ponta Negra na madrugada deste sábado (2). Uma criança sobreviveu e foi encaminhada para o hospital de Praia Brava.

Outras quatro pessoas se feriram, de outras famílias, mas sem gravidade.

Equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil estão no local apoiando as ações de resgate.

Ao todo, 22 bairros foram atingidos por alagamentos e outras ocorrências ligadas às chuvas. São 71 famílias desalojadas até o momento, segundo a prefeitura.

Outro deslizamento de terra em Angra dos Reis (a 156 km do Rio de Janeiro) deixou quatro casas soterradas, uma pessoa morta e ao menos dez desaparecidos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, o deslizamento aconteceu no bairro Monsuaba. Cinco pessoas foram resgatadas com vida até as 11h deste sábado. O corpo encontrado foi o de uma criança, do sexo feminino, que aparenta ter quatro anos de idade.

O outro óbito ocorreu em Mesquita, cidade da região metropolitana do Rio: um homem, ainda não identificado, morreu eletrocutado na região central da cidade em consequência das chuvas.

Em Angra dos Reis, choveu nas últimas 48 horas o equivalente a 655 milímetros no continente e a 592 milímetros na Ilha Grande. Segundo a prefeitura, são índices jamais registrados anteriormente no município.

A Defesa Civil orientou para que as pessoas permaneçam em casa e só saiam caso forem orientadas para isso, por parte das autoridades. Ao ouvir as sirenes, os moradores devem deixar suas casas e irem para o ponto de apoio mais próximo disponibilizado pela prefeitura.

O temporal já havia causado estragos nesta sexta-feira (1º), quando a região da Ilha Grande foi uma das mais atingidas. Todos os 20 sistemas de sirenes da Defesa Civil foram acionados e famílias desalojadas foram levadas para três escolas municipais. Na manhã deste sábado, 19 pessoas estavam em abrigos.

Ao longo do dia, várias vias da cidade foram interditadas após deslizamentos e árvores caídas terem bloqueado parcialmente as pistas.

Também houve relatos de deslizamentos neste sábado na Praia Vermelha, em Angra dos Reis e nas localidades de Ponta Negra, em Paraty.

A Prefeitura de Paraty informou que segue monitorando as chuvas na cidade e prestando a assistência às famílias afetadas. Até o momento, cerca de 60 pessoas foram desalojadas pelas chuvas nos bairros Condado, Patrimônio e Ilha das Cobras.

A cidade de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, também permanece em estágio de alerta devido à ocorrência de chuvas intensas nas últimas seis horas. Não há registro de feridos até o momento.

Equipes da Defesa Civil Municipal estão atendendo as ocorrências e avaliando os impactos causados pela chuva. 

Outras áreas da Baixada também sofreram danos como Belford Roxo e São João de Meriti.

A cidade de Nova Iguaçu também permanece em estado de alerta após registrar cerca de 166 milímetros de chuvas em apenas quatro horas, o que equivale a 175% da média de chuva do mês de abril. Quatro famílias estão desalojadas e não há registro de feridos até o momento.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Onda de calor vai invadir o inverno no litoral de SP nos próximos dias

Tendência é a de que os termômetros cheguem aos 30º C

Cotidiano

Eleitores idosos dobram e jovens caem 20% em Santos, no litoral de SP

O município também tem o menor percentual de menores de idade no eleitorado em toda a Baixada Santista

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter