X

Interditada em 2019

Marquise do Parque Ibirapuera em SP vai ser reaberta em 2025

Marquise do Ibirapuera foi interditada em 2019, deixou 4 feridos em 2023 e será reaberta ao público no meio de 2025

Bruno Hoffmann

Publicado em 10/04/2024 às 19:15

Atualizado em 14/04/2024 às 12:08

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Início da reforma da Marquise do Parque Ibirapuera, na zona sul da Capital / Daniel Villaça/Gazeta de S.Paulo

A Marquise do Parque Ibirapuera, localizado na zona sul de São Paulo, está interditada (parcial ou completamente) desde 2019. No início de março deste ano iniciou o processo de restauro, por ordem do prefeito Ricardo Nunes (MDB).

Siga as notícias do Diário do Litoral no Google Notícias

A pretensão é que a estrutura seja devolvida à população em 16 meses, ou seja, em julho de 2025.

A Gazeta foi até o local para ver a situação atual. 

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Valor da reforma

A prefeitura vai pagar R$ 71,9 milhões pela reforma. Os trabalhos serão executados pela Construcap, empresa controladora da Urbia Parques, concessionária responsável pela gestão do Ibirapuera. A administração municipal garante que conseguiu um desconto de 5% pela Urbia realizar a obra.

"A gente chegou num bom entendimento em que a Urbia nos concedeu 5% de desconto, tornando o valor do serviço mais vantajoso", explicou Nunes durante anúncio da reforma, no fim de fevereiro.

 Por que a Marquise do Ibirapuera estava fechada?

A estrutura, popular entre patinadores e skatistas, foi interditada parcialmente em 2019 após uma análise revelar riscos de desabamento. Em 2020, por decisão judicial, a marquise foi totalmente isolada do acesso público.
A Urbia Parques passou a administrar o parque em outubro de 2020, sem a obrigação de fazer o restauro de marquise, que continuou sob responsabilidade da prefeitura da cidade.

O contrato tem duração de 35 anos. Segundo a gestão municipal, a concessão vai proporcionar uma economia de mais de R$ 1 bilhão aos cofres públicos ao longo do prazo do contrato.

"Com manejo, vigilância e zeladoria, a Prefeitura deixa de gastar aproximadamente R$ 20 milhões por ano", informou a prefeitura, em nota.

Veja o caso completo na Gazeta 

A Gazeta foi até o local, disponibilizou fotos e mostrou a situação atual da marquise que deverá ser entregue no próximo ano.
 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Santos

Acesso ao Monte Serrat passará por obras ainda neste mês, em Santos

Atualizações têm por intuito garantir mais segurança e conforto aos moradores e visitantes

Santos

Minifestival Santos Café terá degustação, oficinas e música; veja programação

Também comemorando o Dia Nacional do Café (24 de maio), o festival dividirá suas atrações entre o bulevar da Rua XV de Novembro e Museu do Café

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter