X

BRASIL

Lula escolhe Alckmin para Indústria; petista anuncia nesta quinta nova leva de ministros

O ex-governador de São Paulo Márcio França (PSB) ficará com o Ministério dos Portos e Aeroportos - fatia do atual Ministério da Infraestrutura

JULIA CHAIB E NATHALIA GARCIA - FOLHAPRESS

Publicado em 22/12/2022 às 09:15

Atualizado em 22/12/2022 às 09:20

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A posse oficial dos cargos ocorre somente no dia primeiro de janeiro / Ricardo Stuckert

O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB-SP) foi o escolhido pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para comandar o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio a partir de janeiro de 2023. 

Segundo integrantes do núcleo duro de Alckmin e Lula, na noite de quarta-feira (21), estava 90% certa a oficialização já nesta quinta (22), durante nova leva de anúncios de ministros. 

Como antecipado pela Folha de S.Paulo, o nome de Alckmin ganhou força diante da recusa de empresários para o posto. Josué Gomes da Silva, da Coteminas, e Pedro Wongtschowski, do grupo Ultra, declinaram do convite. 

Embora Lula tenha declarado, em novembro, que o ex-governador de São Paulo não disputaria vaga de ministro por ser vice-presidente (eleito), Alckmin acumulará as duas funções a partir de janeiro. 

Além de Alckmin, Lula anunciará nesta quinta outros nomes do primeiro escalão que vão compor o seu governo. O ex-governador do Ceará e senador eleito Camilo Santana (PT) será confirmado como futuro ministro da Educação. 

O ex-governador de São Paulo Márcio França (PSB) ficará com o Ministério dos Portos e Aeroportos -fatia do atual Ministério da Infraestrutura. 

Para comandar o Ministério do Trabalho, será anunciado o deputado federal eleito Luiz Marinho (PT-SP). O cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência ficará com o deputado federal Márcio Macedo (PT-SE), tesoureiro da campanha petista. 

O novo desenho palaciano também já pode ser anunciado nesta quinta, no qual a Secretaria de Governo deve passar a se chamar Secretaria de Relações Institucionais (SRI), como já foi no passado. 

O ministério deve manter as atribuições de articulação política e vai para as mãos do deputado Alexandre Padilha (PT), como mostrou a coluna Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo. 

O presidente eleito deu largada na definição de nomes de seus futuros ministros no dia 9 de dezembro, quando anunciou que Flávio Dino (PSB) iria para o Ministério de Justiça e Segurança Pública e Rui Costa (PT), para a Casa Civil. 

Lula também confirmou na ocasião a indicação de José Múcio Monteiro para a Defesa; Fernando Haddad (PT) para a Fazenda e Mauro Vieira para o Itamaraty.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Confira o resultado da Dupla Sena no concurso 2664, nesta sexta (17)

O prêmio é de R$ 4.200.000,00

Cotidiano

Confira o resultado da Super Sete no concurso 545, nesta sexta (17)

O prêmio é de R$ 1.250.000,00

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter