X

Brasil

Emendas parlamentares: 54% do valor total será destinado exclusivamente para a Saúde

Recursos indicados no Orçamento estadual de 2023 vão ampliar atendimento nos hospitais públicos e nas unidades conveniadas ao SUS

Da Reportagem

Publicado em 01/03/2023 às 09:34

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

O valor chega a R$ 535,2 milhões -72,5% a mais do que destinado no ano passado / Divulgação

A área da saúde vai receber, neste ano, 54% do total destinado pelos parlamentares da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, por meio das emendas impositivas ao Orçamento estadual. O valor chega a R$ 535,2 milhões -72,5% a mais do que destinado no ano passado.

Isso acontece porque os deputados e deputadas da Alesp aprovaram, em dezembro de 2022, uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) no Estado, que aumentou de 0,30% para 0,45% da receita corrente líquida estadual o montante destinado a emendas impositivas parlamentares.

Além disso, há uma regra que determina aos parlamentares destinar, ao menos, 50% das emendas impositivas para a área da saúde. A Alesp também aprovou, nos últimos dois anos, leis que beneficiam a saúde no Estado, como a que determina repasses maiores às Santas Casas.

Ao todo, os parlamentares terão, neste ano, R$ 989,5 milhões em emendas impositivas. Tirando o valor destinado para a saúde, restam 46% (R$ 454 milhões), que serão destinados a áreas como infraestrutura, educação, transporte, segurança pública, lazer, esporte, turismo, entre outros.

"As emendas impositivas parlamentares são um importante instrumento para levar recursos e projetos em áreas onde o Estado não consegue chegar, mas os deputados e deputadas têm atuação em razão da forte presença regional", disse o presidente da Alesp, deputado Carlão Pignatari.

Saúde

As emendas para a área da saúde vão financiar obras, custeio hospitalar, aquisição de máquinas e equipamentos, mutirões de consultas e cirurgias, entre outras ações, em hospitais e unidades hospitalares filantrópicas, além de unidades básicas de saúde nos municípios.

Ao todo, foram indicadas 1.989 emendas para a saúde, sendo que as 10 maiores ultrapassam o valor de R$ 3 milhões, cada. Dessas, oito vão para custeio de hospitais ou serviços geridos por prefeituras no interior e no litoral paulista. Outras duas vão para importantes reformas em unidades.

Confira a lista com as 10 maiores:

1 - R$ 7.397.319,00 - do deputado José Américo, para custeio da saúde do município de Franco da Rocha;

2 - R$ 5.327.319,00 - do deputado Ataíde Teruel, para custeio da saúde no município de Carapicuíba;

3 - R$ 5.270.000,00 - do deputado Professor Kenny, para custeio da saúde no município de São Vicente;

4 - R$ 5.000.000,00 - do deputado Wellington Moura, para reforma e modernização da ALA D do 1º Andar de hemodiálise da Santa Casa de Santos;

5 - R$ 4.613.659,50 - do deputado Márcio da Farmácia, para custeio do atendimento da Santa Casa de Misericórdia de Pindamonhangaba;

6 - R$ 4.500.000,00 - do deputado Paulo Correa Jr., para custeio da saúde no município de São Vicente;

7 - R$ 4.113.659,50 - do deputado Dirceu Dalben, para custeio da saúde do município de Sumaré;

8 - R$ 4.000.000,00 - do deputado Sérgio Vitor, para ampliar o Hospital Municipal Universitário de Taubaté (Hmut), da Universidade de Taubaté;

9 - R$ 4.000.000,00 - do deputado Maurici, para custeio da saúde no município de Franco da Rocha;

10 - R$ 3.277.319,00 - do deputado Roque Barbieri, para custeio da saúde no município de Bragança Paulista.

Emendas

As emendas são divididas em três categorias: as destinadas à área da Saúde; as direcionadas para outras áreas; e as especiais, enviadas aos municípios, para que usem livremente. Em 2023, cada deputado ou deputada teve direito a indicar cerca de R$ 10,5 milhões, sendo que, obrigatoriamente, pelo menos metade dos recursos precisa ir para a Saúde, área considerada prioritária. A Alesp tem 94 parlamentares.

As emendas têm impacto significativo na vida da população, por isso é importante que todas as pessoas acompanhem e fiscalizem a implementação dos recursos. Uma das formas de se fazer isso é por meio das publicações oficiais no Diário Oficial.

Além disso, a Alesp tem aumentado a transparência sobre esses recursos. Durante esta semana, por exemplo, uma série de matérias explicando cada uma das categorias das emendas será publicada pelo órgão.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Diário Mais

Mau presságio? Branqueamento de corais pode ser sinal da morte dos oceanos; entenda

Estruturas são a base do Oceano

Cotidiano

Biquíni com casaco? Litoral de SP terá sol nos próximos dias, mas sem calor

Apesar da presença constante do sol, as máximas não passam dos 23 graus

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter