X
Mundo

Votação histórica nas Nações Unidas aprova proibição de armas nucleares

O documento também proíbe qualquer transferência ou uso desse tipo de armamento, além da ameaça do uso dessas armas

As Nações Unidas adotaram nesta sexta-feira (7) o primeiro tratado legalmente vinculativo de proibição de armas nucleares. O documento foi aprovado com 122 votos a favor, uma abstenção (de Singapura) e um voto contra (da Holanda) e prevê que os países que o ratificaram "nunca sob nenhuma circunstância devem desenvolver, testar, produzir, fabricar, adquirir, possuir ou armazenar armas nucleares ou outros dispositivos explosivos nucleares". A informação é da ONU News.

O documento também proíbe qualquer transferência ou uso desse tipo de armamento, além da ameaça do uso dessas armas. Antes da adoção, a presidente da conferência das Nações Unidas que negociou o tratado, Elayne Whyte Gomez, destacou o "momento histórico" pela conclusão positiva do primeiro acordo multilateral de desarmamento nuclear em mais de 20 anos.

Elayne, que também é embaixadora da Costa Rica junto à ONU em Genebra disse que essa norma legal era aguardada há 70 anos, desde o uso das bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki, no Japão, final da Segunda Guerra Mundial, em agosto de 1945.

Um total de 141 países participaram nas três semanas de negociações do tratado, que preconiza uma proibição total de armas nucleares, liderados pela Áustria, Brasil, México, África do Sul e Nova Zelândia. Nenhum dos nove países do mundo que possuem armas nucleares -- Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, França, Israel, China, Índia, Paquistão e Coreia do Norte -- participou nas negociações.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Educação

Organização cria miniflorestas em escolas públicas com apoio da prefeitura de São Paulo

A entidade formigas-de-embaúba realiza o plantio participativo de Mata Atlântica com estudantes, além de oferecer formação on-line a professores para projetos de educação ambiental

Economia

CAE aprova projeto que cria programa de estabilização do valor do petróleo

Proposta foi apresentada pelo senador Rogério Carvalho (PT-SE), devido as reclamações crescentes sobre o sucessivo aumento do preço dos combustíveis

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software