Trump defende fim do anonimato de fontes jornalísticas

"Eu não sou contra a imprensa (...) Sou apenas contra a mídia ou imprensa de notícias falsas," afirmou Trump

Comentar
Compartilhar
24 FEV 2017Por Folhapress18h00
O presidente também disse ser um defensor da liberdade de expressãoO presidente também disse ser um defensor da liberdade de expressãoFoto: John Locher/Associated Press/Estadão Conteúdo

Em discurso nesta sexta-feira (24) na convenção da União de Conservadores dos Estados Unidos, o presidente Donald Trump voltou a atacar a mídia e defendeu o fim do anonimato de fontes jornalísticas.

"Eu sou contra as pessoas que inventam histórias e inventam fontes. Eles não deveriam usá-las a não ser que usem o nome de alguém", declarou o republicano. "Vocês verão as notícias desaparecerem como nunca antes."

O presidente também disse ser um defensor da liberdade de expressão, afirmando que, se a mídia tem liberdade para escrever histórias contra ele, ele tem o direito de criticar duramente as "pessoas desonestas" que inventam "notícias falsas".

"Eu não sou contra a imprensa (...) Sou apenas contra a mídia ou imprensa de notícias falsas," afirmou Trump, diante de uma plateia entusiasmada que repetidas vezes interrompeu o presidente aos gritos de "USA! USA!".

Um opositor foi hostilizado pelo público e retirado da convenção por seguranças.

O republicano voltou a celebrar sua vitória nas eleições de novembro, dizendo ser algo "como nunca se viu antes". Ele disse ter angariado o apoio de vários eleitores de Bernie Sanders, socialista derrotado por Hillary Clinton nas primárias do Partido Democrata.

"O fato é: eu gosto do Bernie Sanders", declarou o presidente, acrescentando que o democrata "tinha razão" ao criticar o livre comércio.