Trump assina decretos de cibersegurança e contra fraudes eleitorais

O decreto conta, entre outras questões, com a novidade que os chefes das agências governamentais deve ser responsabilizados por implementar ações de risco nos sistemas

Comentar
Compartilhar
11 MAI 2017Por Estadão Conteúdo20h30
Donald Trump, assinou um decreto nesta quinta-feira com o objetivo de fortalecer a cibersegurança do paísDonald Trump, assinou um decreto nesta quinta-feira com o objetivo de fortalecer a cibersegurança do paísFoto: Divulgação

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou um decreto nesta quinta-feira com o objetivo de fortalecer a cibersegurança do país. O assessor de Segurança Nacional do presidente, Tom Bossert, afirmou que a medida "deve manter os EUA mais protegidos de riscos de ciberataques". 

O decreto conta, entre outras questões, com a novidade que os chefes das agências governamentais deve ser responsabilizados por implementar ações de risco nos sistemas. 

Segundo Bossert, o decreto foi motivado por questões domésticas e não tem relação com as investigações em andamento sobre uma possível interferência da Rússia nas eleições presidenciais, que teriam invadido o sistema eletrônico do Partido Democrata em um ciberataque.

O decreto foi assinado no momento em que o governo Trump passa por uma crise, após a demissão do diretor do FBI, James Comey, que liderava a investigação sobre a Rússia.

O presidente também assinou um decreto que convoca uma comissão para revisar supostas fraudes eleitorais e exclusão de votos no sistema americano.

Trump alegou, após vencer as eleições presidenciais, que entre 3 milhões e 5 milhões de pessoas votaram de forma ilegal no ano passado, a favor da democrata Hillary Clinton.