Trump alcança número de delegados para ser candidato republicano

A contagem de delegados indica que Trump tem o apoio de 1.238, um a mais de que os 1.237 necessários para ser formalmente declarado candidato do partido na convenção de julho

Comentar
Compartilhar
27 MAI 2016Por Folhapress04h30
Trump alcança número de delegados para ser candidato republicanoTrump alcança número de delegados para ser candidato republicanoFoto: Divulgação

O empresário Donald Trump atingiu o número de delegados necessários para conquistar oficialmente a candidatura do Partido Republicano à Presidência dos Estados Unidos.

A contagem de delegados indica que Trump tem o apoio de 1.238, um a mais de que os 1.237 necessários para ser formalmente declarado candidato do partido na convenção de julho.

A agência de notícias Associated Press ouviu um número de delegados que ainda não tinham declarado publicamente apoio a nenhum candidato, e verificou que Trump passou da marca de delegados necessários para se tornar o candidato republicano.

As próximas prévias do partido em cinco Estados ainda devem definir o apoio de 303 delegados, o que deve ampliar ainda mais a força de Trump e evitar uma convenção disputada.

Único remanescente nas prévias que definem o presidenciável republicano, Trump venceu a mais recente etapa estadual na terça (24), em Washington.

CANDIDATO VIRTUAL

Trump já havia se tornado o virtual candidato do Partido Republicano às eleições presidenciais dos EUA após a desistência de seu principal rival, o senador Ted Cruz, no início de maio.

Cruz abandonou a disputa após perder por larga margem de Trump nas prévias do partido no Estado de Indiana.

O anúncio causou surpresa, já que o senador havia prometido na véspera que via sentido em manter a campanha mesmo se perdesse essa etapa.

Um dia depois, John Kasich, o último rival no caminho de Trump para ser o candidato republicano à Casa Branca, também desistiu. Governador de Ohio, ele anunciou sua retirada, reconhecendo que sua mensagem não "teve grande apelo de audiência".

DISPUTA COM DEMOCRATAS

Com a oficialização da candidatura de Trump, o caminho do partido fica livre para focar na provável adversária do Partido Democrata na eleição, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton.

No início desta semana Trump apareceu pela primeira vez à frente de Hillary nas pesquisas eleitorais sobre a eleição de novembro. Os dados de segunda-feira (23) indicavam que o republicano superaria a rival democrata na média de várias pesquisas de intenção de voto compiladas pelo site Real Clear Politics: 43,4% contra 43,2%.

A diferença é de décimos, mas inédita desde que as preferências para a eleição de novembro começaram a ser aferidas, em julho de 2015.

Nesta quinta (26), Hillary já voltou a ultrapassar Trump, e tem 43,8% contra 42,8% dele, segundo a média calculada pelo Real Clear Politics.

Para vencer a eleição nos EUA, porém, não basta ter a maioria dos votos no país. É preciso vencer nos Estados mais populosos e, assim, obter maioria no Colégio Eleitoral -um tabuleiro de xadrez no qual, segundo as pesquisas estaduais disponíveis, Trump não prevalece por ora.