X

Mundo

Tratamento de esgoto é fundamental para combater falta d’água, diz ONU

A previsão das Nações Unidas é que em 2030 a demanda mundial seja superior em 40% às provisões naturais

Folhapress

Publicado em 23/03/2017 às 00:30

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

O tratamento do esgoto é fundamental para combater a falta d’água, segundo a ONU / Divulgação

O tratamento de águas residuais é fundamental na proteção da saúde, do ambiente e no combate à escassez do líquido. É o que afirma relatório da ONU (Organização das Nações Unidas), publicado nesta quarta-feira (22), Dia Mundial da Água.

A previsão das Nações Unidas é que em 2030 a demanda mundial seja superior em 40% às provisões naturais, caso não tenha uma mudança de atitude no consumo.

Segundo a ONU, dois terços da humanidade vivem em zonas onde a escassez de água é "evidente" por ao menos um mês do ano. A metade delas vive na China e na Índia.

Mais de 800.000 pessoas morrem todos os anos pelo consumo de água contaminada ou porque não podem lavar as mãos devidamente.

As doenças relacionadas à água matam 3,5 milhões de pessoas anualmente na América Latina, África e Ásia, um dado superior à soma das mortes por Aids e acidentes de carro.

E o aquecimento global, que agrava a seca, prosseguirá, mesmo nos melhores cenários.

Na América Latina, uma das principais causas do problema são as àguas residuais procedentes da agricultura, da indústria e das zonas urbanas.

Os países mais ricos tratam 70% das águas residuais que geram -um dado que cai a 38% nas nações de renda média e a 8% entre as mais pobres, segundo o relatório publicado pela ONU-Água e pela Unesco.

No mundo, 80% das águas não são tratadas, uma média que também corresponde à América Latina e ao Caribe (entre 70% e 80%) para as águas recuperadas das redes do esgoto urbano, principal fonte de contaminação hídrica.

No entanto, o estudo indica também que, Brasil, México e Uruguai reciclam mais da metade do total, enquanto o tratamento no Chile é quase universal.

O relatório estima paralelamente que a região deveria investir mais de US$ 33 bilhões para que o tratamento de águas residuais se elevasse a 64% em 2030.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade

Praia Grande oferece 50 vagas gratuitas para oficina de fotografia

Inscrições começam na próxima segunda (22), no Palácio das Artes

COPA DO BRASIL

Sorteio define mandos das semis da Copa do Brasil; veja quem decidirá em casa

É a primeira vez na história que uma competição de cunho nacional terá a decisão das semis sendo do eixo Rio-SP, com 2 de cada estado

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software