X
Mundo

Talibãs reivindicam autoria de ataque a hotel de luxo em Cabul

"Dezenas de estrangeiros e mercenários do inimigo morreram no ataque suicida em Cabul, no Hotel Intercontinental, contra uma reunião do inimigo", afirmou o porta-voz talibã Zabihullah Mujahid em sua conta no Twitter.

Os talibãs reivindicaram neste domingo (21) a autoria do ataque ao luxuoso Hotel Intercontinental de Cabul, ontem (20) à noite, que deixou pelo menos dez mortos, entre eles um estrangeiro e quatro agressores.

"Dezenas de estrangeiros e mercenários do inimigo morreram no ataque suicida em Cabul, no Hotel Intercontinental, contra uma reunião do inimigo", afirmou o porta-voz talibã Zabihullah Mujahid em sua conta no Twitter.

Em comunicado, o porta-voz disse que no momento do ataque o estabelecimento estava "cheio" de americanos e cidadãos de outros países "invasores".

Segundo a nota, os agressores - cinco - identificaram "cuidadosamente" suas vítimas e mataram os cidadãos dos países "invasores" e os membros do governo afegão.

"Os integrantes da reunião, que teve a participação de oficiais da Administração de Cabul e americana, foram também atacados", detalhou o porta-voz, em referência a uma conferência sobre tecnologia da informação que era realizada no hotel, organizada pelo governo afegão.

A ação começou por volta das 21h (hora local de sábado, 14h30 em Brasília) no hotel, situado no alto de uma colina, a oeste da capital afegã, e desencadeou enfrentamentos que se prolongaram durante cerca de 12 horas.

O hotel, que já foi alvo de um ataque similar em 2011, quando morreram 21 pessoas, é frequentado por estrangeiros e afegãos ricos e, frequentemente, acolhe festas privadas e eventos oficiais como entrevistas coletivas, seminários e conferências.

Cabul foi alvo em 2017 de graves ataques insurgentes.

No final de maio, ocorreu na cidade o pior atentado no Afeganistão desde a queda do regime talibã com a invasão americana em 2001. Um caminhão cheio de explosivos deixou 150 mortos e mais de 300 feridos.

Desde o final da missão de combate da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em janeiro de 2015, o governo de Cabul foi perdendo terreno diante dos insurgentes, até controlar apenas 57% do país, segundo o Inspetor Especial Geral para a Reconstrução do Afeganistão do Congresso dos Estados Unidos.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Política

Lula elogia Dilma, mas diz que, aparentemente, aliada 'não gostava de conversar'

Ao comentar que política não se aprende da Universidade, Lula declarou que, apesar da competência técnica da sua sucessora, ela parecia não estar aberta ao diálogo, e justificou afirmando que a experiência da Dilma "foi muito sofrida"

Polícia

Guarujá: dois homens são presos após fazer funcionários de um supermercado de reféns

Além das armas de fogo, eles também estavam com utensílios para arrombar o cofre do supermercado

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software