Síria terá nova tentativa de cessar-fogo, mas acordo tende a ser 'infrutífero'

Um editorial de terça-feira no jornal Al-Baath disse que 'sem lutar contra o terrorismo e derrotar os terroristas, qualquer solução não será frutífera'

Comentar
Compartilhar
14 FEV 2017Por Estadão Conteúdo19h00
Várias tentativas anteriores para acabar com a guerra civil, que começou há quase seis anos, falharamVárias tentativas anteriores para acabar com a guerra civil, que começou há quase seis anos, falharamFoto: Divulgação

A negociação entre o governo da Síria e a oposição no Casaquistão não será "frutífera" a menos que esteja focado em combater o terrorismo, informou o jornal estatal sírio Al-Baath.

A cúpula de dois dias em Astana, que começa quarta-feira, visa reforçar um cessar-fogo de 30 de dezembro. O governo há tempos se refere a todos aqueles que lutam contra ele, incluindo os principais rebeldes, como "terroristas".

Um editorial de terça-feira no jornal Al-Baath disse que "sem lutar contra o terrorismo e derrotar os terroristas, qualquer solução não será frutífera". O cessar-fogo não inclui o ramo da Al-Qaeda na Síria e o Estado Islâmico. 

Uma nova rodada de negociações de paz com a Organização das Nações Unidas (ONU) na Síria está agendada para 23 de fevereiro. Várias tentativas anteriores para acabar com a guerra civil, que começou há quase seis anos, falharam.