Papa diz que escutará Trump e buscará que 'portas que não se fechem'

O papa assegurou que sempre pensa no respeito, em 'caminhar juntos' e em 'ser muito sincero com o que cada um pensa'

Comentar
Compartilhar
14 MAI 2017Por Agência Brasil19h30
Francisco lembrou que "a paz é artesanal e se faz a cada dia"Francisco lembrou que "a paz é artesanal e se faz a cada dia"Foto: Divulgação

A bordo do avião papal,  o papa Francisco afirmou neste sábado que na reunião com o presidente de Estados Unidos, Donald Trump, prevista para 24 de maio no Vaticano, o "escutará", dirá o que pensa e buscará que "portas que não sejam fechadas".

Assim respondeu na coletiva de imprensa no avião durante a volta da viagem que fez ao Santuário de Fátima a uma das perguntas sobre qual era sua consideração sobre a política de Trump e as evidentes diferenças com algumas de suas mensagens em matéria de imigração e defesa do meio ambiente.

"Eu jamais faço julgamentos sobre uma pessoa sem escutá-la. Eu o escutarei e direi o que penso", acrescentou o papa perante os 70 jornalistas que voaram com ele, entre eles da Agência EFE.

Para Francisco, o importante em qualquer situação é "buscar que as portas não sejam fechadas. Continuar adiante e passo a passo".

Francisco lembrou que "a paz é artesanal e se faz a cada dia".

O papa assegurou que sempre pensa no respeito, em "caminhar juntos" e em "ser muito sincero com o que cada um pensa".

Francisco receberá o presidente norte-americano no dia 24 de maio em Roma, que depois viajará a Bruxelas e no dia 26 participará da Cúpula do G7 que será realizada na cidade siciliana de Taormina.