No Twitter, empresário questiona letalidade da Covid-19 após morrer com a doença

Postagem feita após a morte do criador da conta foi deletada após chuva de críticas nas redes sociais

Comentar
Compartilhar
02 SET 2020Por Da Reportagem12h50
Conta de apresentador de TV morto pelo novo coronavírus segue ativaFoto: Reprodução / Twitter / The Cain Gang

A conta no Twitter do empresário Herman Cain, que foi renomeada para 'The Cain Gang' segue ativa depois do também apresentador de rádio e TV ter falecido em julho após contrair o novo coronavírus. O problema, entretanto, se deve ao fato de que o perfil questionou a doença e afirmou que o vírus não é tão mortal assim, mesmo após ele ter levado à morte de seu criador. A mensagem foi deletada.

Cain faleceu após exames terem comprovado que ele contraiu o novo coronavírus no começo do segundo semestre de 2020. A morte ocorreu no dia 30 de julho e a equipe médica que o acompanhou confirmou que a doença foi o que levou o apresentador ao óbito.

Já a postagem do perfil questionando se o vírus é realmente tão mortal ocorreu no último domingo (30), exatamente um mês após o criador da conta ter morrido.

"Herman Cain ter morrido pela pandemia e depois twittar que a pandemia não é tão letal assim não é uma das coisas mais importantes a ter ocorrido em 2020, mas sem dúvidas é uma das mais insanas", escreveu um seguidor.

A mensagem original do perfil 'The Cain Gang' foi apagada após a pesada repercussão negativa que ocorreu na web. Antes de contrair a patologia, Cain se mostrava forte apoiador do governo de Donald Trump e era crítico com as atitudes de Joe Biden, candidato democrata que deverá disputar as eleições de 2020 contra o atual presidente dos Estados Unidos da América.

O apresentador de TV também não compactuava com o movimento 'Black Lives Matter' e compartilhou informações de outros formadores de opinião estadunidenses que afirmavam que a pandemia não iria embora e que as pessoas tinham que apenas aprender a conviver com ela.


Mensagem foi apagada após péssima repercussão nas redes sociais