X
Mundo

Negociações sobre Síria têm começo difícil no Cazaquistão

As negociações são um teste para saber se o encontro pode ou não abrir caminho para um fim do conflito que já dura seis anos

Representantes do governo da Síria e da oposição rebelde não aceitaram um encontro frente a frente durante as negociações na capital do Cazaquistão nesta segunda-feira, em um início difícil para o encontro patrocinado pelos governo da Rússia, Turquia e Irã.

As negociações são um teste para saber se o encontro pode ou não abrir caminho para um fim do conflito que já dura seis anos. Os Estados Unidos estão praticamente fora das conversas.

O dia começou com palavras duras. Mohammed Alloush, representante dos rebeldes, afirmou que sua delegação concordou com a reunião como "uma decisão estratégica para atingir uma solução política justa", mas acusou o regime de manter "uma política de opressão, matança e destruição".

"Fomos surpreendidos pelas declarações da comitiva rebelde", afirmou o embaixador da Síria nas Nações Unidas, Bashar al-Jaafari, que encabeça a delegação do governo. "Suas palavras foram ofensivas e demonstram um mau comportamento".

A Turquia e a Rússia previamente afirmaram que as negociações poderiam resultar num arcabouço para delinear o tratado de paz. Agora, no entanto, suas expectativas parecem diminuídas para estabelecer mecanismos de monitoração do cessar fogo que entrou em vigor no mês passado.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Saúde feminina: empresárias se cuidam menos?

De acordo com dados divulgados, cerca de 80% das executivas que procuram auxílio médico apresentam alto nível de estresse

Saúde

Queiroga descarta antecipar 3ª dose; OMS vê risco de avanço da variante Ômicron

Para o ministro da Saúde, a variante Ômicron do coronavírus, descoberta na África do Sul, não será diferente de outras já identificadas

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software