X

ACUSAÇÃO

MP da Espanha pede 9 anos de prisão a Daniel Alves por violência sexual

Pedido de pena pode ser acatado no dia do julgamento, cuja data ainda não está marcada

TALYTA VESPA E THIAGO ARANTES - Folhapress

Publicado em 23/11/2023 às 15:36

Atualizado em 23/11/2023 às 15:48

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Daniel Alves é acusado de agredir sexualmente uma mulher / Lucas Figueiredo/CBF

O Ministério Público da Espanha pediu, nesta quinta-feira (23), que Daniel Alves seja condenado a nove anos de prisão por violência sexual.

O UOL teve acesso ao documento, assinado pelo Ministério Público. O pedido de pena pode ser acatado no dia do julgamento, cuja data ainda não está marcada.

Agora, a acusação particular tem mais cinco dias úteis para elaborar o seu documento, que também será enviado à Justiça espanhola.

A pena máxima na Espanha por violência sexual é de 12 anos de prisão. Daniel Alves, entretanto, pagou R$ 800 mil como atenuante para diminuição da pena, em caso de condenação. Esses nove anos seriam, então, a pena máxima já com o atenuante.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Fontes jurídicas consultadas pelo UOL afirmam que o julgamento deve acontecer no começo do próximo ano.

Daniel Alves está preso preventivamente desde 20 de janeiro de 2023, acusado de ter violentado sexualmente uma mulher de 23 anos em uma boate em Barcelona.

Defesa pede liberdade

Na semana passada, a defesa de Daniel Alves fez à Justiça Espanhola um novo pedido de liberdade ao jogador, que foi contestado pela acusação e pelo Ministério Público.

A Procuradoria de Barcelona opõe-se ao pedido de liberdade formulado pela defesa de Daniel Alves e considera que a medida de prisão provisória acordada deve ser mantida, entendendo que ainda existe o risco de fuga, dada a natureza dos fatos, as elevadas penas que poderão ser aplicadas pelo crime supostamente cometido e a proximidade do julgamento oral", diz o documento oficial do MP.

"O Ministério Público, como sustentou em relatórios anteriores, entende que existe risco de fuga dada a falta de raízes efetivas no território nacional do acusado e a grande capacidade econômica que este possui, o que lhe permite sair facilmente do país, independentemente de vínculo matrimonial ou de casa na Espanha", conclui o documento.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nacional

Desmatamento na Amazônia cai 60% em janeiro deste ano

Com 40% de perdas, Roraima lidera ranking dos que mais desmataram

São Vicente

São Vicente inaugura a quinta escola de período integral

AMEI Maria Lourdes Batista, no Parque São Vicente, atenderá cerca de 450 alunos com salas climatizadas, quadra coberta e oficinas extracurriculares

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter