X
Mundo

Mais de 71 mil casas seguem sem luz após forte nevasca na capital do Chile

A forte nevasca que afetou neste sábado a capital, a mais intensa das últimas décadas, derrubou centenas de árvores que, em alguns casos, danificaram os cabos da rede elétrica

Forte onda de frio polar provocou a maior nevasca em décadas no Chile. Ao todo, nove regiões do país foram afetadas, inclusive a capital, Santiago / EPA/Elvis González/EFE

Mais de 71 mil casas seguem sem luz em Santiago, no Chile, como consequência da intensa nevasca de ontem (15), informou hoje (16) a companhia elétrica italiana Enel, que fornece eletricidade para boa parte da capital chilena.

Segundo a Agência EFE, os bairros mais atingidos são Los Condes, Vitacura, La Reina, Lo Barnechea, Ñuñoa e Providencia, na zona leste da cidade, onde há clientes que estão há mais de 30 horas sem eletricidade.

A forte nevasca que afetou neste sábado a capital, a mais intensa das últimas décadas, derrubou centenas de árvores que, em alguns casos, danificaram os cabos da rede elétrica.

O fenômeno causou a morte de uma pessoa, deixou duas feridas e dificultou a mobilidade na capital, uma cidade com mais de 7 milhões de habitantes, mas hoje a situação está totalmente normalizada.

A companhia elétrica Enel assegurou que suas equipes trabalharam durante toda a noite para restabelecer o fornecimento, que inicialmente esteve interrompido em mais de 300 mil casas.

O temporal de neve, causado por uma onda de frio polar, afetou nove regiões do país: desde Coquimbo até Los Lagos.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Educação

Organização cria miniflorestas em escolas públicas com apoio da prefeitura de São Paulo

A entidade formigas-de-embaúba realiza o plantio participativo de Mata Atlântica com estudantes, além de oferecer formação on-line a professores para projetos de educação ambiental

Economia

CAE aprova projeto que cria programa de estabilização do valor do petróleo

Proposta foi apresentada pelo senador Rogério Carvalho (PT-SE), devido as reclamações crescentes sobre o sucessivo aumento do preço dos combustíveis

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software