X
Mundo

Hezbollah diz que reconhecimento de Jerusalém foi 'agressão traiçoeira'

Para o porta-voz Hassan Fadlallah, o anúncio dos EUA reafirmou que o único meio para restaurar os direitos é a 'resistência armada'

Segundo Fadlallah, a decisão de Donald Trump ignorou 'intencionalmente' as resoluções da ONU / Reprodução

O grupo militante libanês Hezbollah afirmou nesta quinta-feira que o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel pelos Estados Unidos fechou todos os caminhos de negociação. Segundo o grupo, a ação foi uma "agressão traiçoeira e maliciosa" contra os direitos dos palestinos.

Para o porta-voz do Hezbollah, Hassan Fadlallah, o anúncio dos EUA reafirmou que o único meio para restaurar os direitos é a "resistência armada". Segundo ele, a decisão provavelmente terá "repercussões catastróficas" na estabilidade regional e internacional, e provocará árabes e muçulmanos a darem uma resposta rápida.

Fadlallah disse ainda que a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ignorou "intencionalmente" as resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU) e foi uma "rude depreciação das pessoas e dos estados dos mundos árabe e muçulmano".

O Líbano está tecnicamente em guerra com Israel. Os ataques do Hezbollah forçaram Israel a se retirar do sul do Líbano em 2000, e o grupo entrou em guerra com o país novamente em 2006.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Shopping Praiamar, em Santos, alerta pessoas para tentativa de golpe em seu nome

Um e-mail estaria sendo usado para atrair os candidatos a uma vaga de emprego que não está sendo oferecida no momento

Guarujá

Teatro Procópio exibe 'As Aventuras de Tintim' nesta sexta-feira (27)

Evento marca a retomada das atividades presenciais do Programa

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software