Governo da Síria rejeita relatório da Anistia sobre enforcamentos em massa

O comunicado publicado pela agência estatal de notícias da Síria, chegou um dia após a divulgação do relatório, baseado em um ano de pesquisa e entrevistas com 31 ex-detentos

Comentar
Compartilhar
08 FEV 2017Por Estadão Conteúdo17h30
Os enforcamentos aconteciam até duas vezes por semana, após julgamentos que duravam poucos minutosFoto: Divulgação

O Ministério da Justiça da Síria rejeitou nesta quarta-feira o relatório da Anistia Internacional que cita enforcamentos em massa de quase 13 mil pessoas em uma prisão perto de Damasco, afirmando que as alegações são "completamente falsas" e parte de uma campanha de difamação.

O comunicado do Ministério, publicado pela agência estatal de notícias da Síria, chegou um dia após a divulgação do relatório, baseado em um ano de pesquisa e entrevistas com 31 ex-detentos da prisão de Saydnaya, além de 50 ex-guardas, autoridades carcerárias, juízes e especialistas.

O documento da Anistia Internacional inclui detalhes de vítimas que presenciaram vários estágios das execuções em Saydnaya, conhecidos pelos detentos "matadouro" e operado pela polícia militar. Os enforcamentos aconteciam até duas vezes por semana, após julgamentos que duravam poucos minutos.