X
Mundo

'Gênios': Família leva bomba dentro da mala como recordação de viagem e causa pânico em aeroporto

A região por onde os viajantes passearam foi palco de violentos combates na Guerra dos Seis Dias, de 1967, e resquícios do conflito, como minas terrestres, ainda estão espalhados pelo local

Divulgação/Israel Airports Authority

Uma família norte-americana provocou terror em um aeroporto israelense quando tentaram embarcar de volta para casa com um morteiro, um tipo de granada de artilharia, não detonada na bagagem. Eles disseram que o objeto seria uma lembrança da viagem.

O episódio foi registrado na quinta-feira (28), no Aeroporto Internacional Ben Gurion, em Tel Aviv, no momento em que a equipe de segurança detectou um objeto suspeito no scanner de bagagens. Quando abriram uma das malas, encontraram uma munição enferrujada, semelhante a um projétil de artilharia, embrulhada em uma sacola de plástico.

"Quando os turistas americanos chegaram para verificar sua bagagem, eles mostraram o pedaço da munição para a segurança", disse um porta-voz da segurança do aeroporto ao jornal local The Times of Israel. "Como era um fragmento de bomba, foi anunciada a evacuação da área".

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram e mantenha-se bem informado.

O alerta emitido pelas autoridades deixou centenas de viajantes assustados, muitos deles acreditando que a situação foi causada por uma ameaça de um atentado terrorista.

Uma das testemunhas gravou o momento de pânico, com pessoas correndo e gritando, e outras encolhidas no chão ou tentando se proteger embaixo das mesas.

Um homem israelense, de 32 anos, teve que ser levado ao hospital para tratamento depois de subir em uma esteira de bagagem durante a confusão e levar um tombo.

"Houve muita gritaria. Eu apenas senti que tinha que correr para salvar minha vida", disse ele ao jornal israelense Ynet
De acordo com a publicação, a família havia visitado as Colinas de Golan, no norte do país, onde uma das crianças encontrou a munição no chão. Sem presumir se o objeto era perigoso ou não, os turistas o colocaram na mala, com o propósito de levar para casa como uma recordação das férias.

A região por onde os viajantes passearam foi palco de violentos combates na Guerra dos Seis Dias, de 1967, e resquícios do conflito, como minas terrestres, ainda estão espalhados pelo local.

O susto generalizado no aeroporto também está associado a um recente trauma da população israelense com uma série de ataques terroristas pelo país que resultaram na morte de 14 pessoas.

Depois que a segurança descartou qualquer perigo, os viajantes foram autorizados a voltar para o terminal.

A família americana também recebeu permissão para embarcar em seu voo para os Estados Unidos após uma breve investigação, mas eles tiveram que deixar o objeto para trás.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Férias escolares de julho reacendem a discussão sobre guarda compartilhada

Especialista dá orientações sobre a divisão do tempo dos filhos com guardiões divorciados

São Vicente

Miramar Shopping traz brincadeiras de ilusão de ótica nas férias de julho

São quatro atrações espalhadas por todo o shopping que desafiam os sentidos, como a visão e o tato; evento é gratuito

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software