Em último discurso, Trump deixa a Casa Branca e promete 'voltar de alguma forma'

Trump passa suas últimas horas como presidente na Flórida; Joe Biden toma posse como presidente dos Estados Unidos nesta quarta-feira

Comentar
Compartilhar
20 JAN 2021Por Gazeta de S. Paulo15h50
Donald Trump durante discurso na manhã desta quarta-feiraFoto: Reprodução/Globonews

Nesta quarta-feira, Donald Trump fez sua última aparição como presidente em Washington DC. Trump deixou a Casa Branca e falou com alguns repórteres que o aguardavam. Ele fez um discurso para apoiadores ao lado do Air Force One, no qual disse adeus e prometeu "voltar de alguma forma".

Minutos depois, Trump entrou em um helicóptero rumo à Base Andrews, pista aérea da força militar no estado de Maryland.

No discurso feito na pista da base militar de Andrews, ele não citou Biden, mas desejou sorte e sucesso ao novo governo. "Como dizem os atletas, nós demos tudo em campo. Não poderíamos ter feito um trabalho mais duro. Eles [governo Biden] terão uma boa base para fazer coisas. Nos próximos meses, haverá bons números na economia. Lembrem-se de nós".

Ainda no discurso, Trump ressaltou algumas das medidas que aprovou durante a gestão, como a nomeação de mais de 300 juízes e três ministros da Suprema Corte, o corte de impostos, a eliminação de regulamentações e índices de desemprego.

Os apoiadores que estavam na pista fizeram um coro em que diziam "obrigado, Trump". "Sempre lutarei por vocês, eu estarei vendo, escutando. Nós amamos vocês, voltaremos de alguma forma", respondeu Trump.

"Tenham uma boa vida. Nós nos veremos em breve", finalizou.

Flórida

Donald Trump tem como destino o seu resort de Mar-a-Lago, na Flórida. Ele tem poucas horas como presidente dos Estados Unidos, pois após a posse do Joe Biden, o avião da presidência estará a serviço do democrata.

Perdão

Antes de deixar o cargo, Trump concedeu o perdão presidencial ao ex-aliado Steve Bannon, que foi indiciado e preso em agosto de 2020 sob acusações de desvio de dinheiro de uma campanha de apoio à construção de um muro na fronteira com o México. Ele estava solto após pagar fiança de US$ 5 milhões e aguardava o julgamento.

Além dele, mais de 70 pessoas foram beneficiadas.