X
Mundo

Em saudação de Ano-Novo, Putin afaga Assad e pede cooperação a Trump

Putin enfatizou que a Rússia continuaria a prestar toda a assistência à Síria na proteção da soberania

Putin enfatizou que a Rússia continuaria a prestar toda a assistência à Síria na proteção da soberania / Associated Press

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, dirigiu-se neste sábado (30) aos presidentes da Síria e dos EUA.
Primeiro, informou o Kremlin, o russo enviou uma saudação de final de ano ao presidente Bashar al-Assad, afirmando que a Rússia continuará a apoiar a Síria.

Putin enfatizou que a Rússia "continuaria a prestar toda a assistência à Síria na proteção da soberania, unidade e integridade territorial do Estado, na promoção de um processo de solução política, bem como nos esforços para restaurar a economia nacional", afirmou o Kremlin.

No começo de dezembro, o presidente russo ordenou que as forças do país na Síria começassem a se retirar, mas disse que a Rússia manteria sua base aérea Khmeimim, na província síria de Latakia, bem como sua instalação naval em Tartous, esta "de forma permanente".

Um pouco mais tarde, Putin sugeriu ao presidente dos EUA, Donald Trump, de acordo com o Kremlin, uma "cooperação pragmática" em 2018.

"É especialmente necessário um diálogo russo-americano construtivo para reforçar a estabilidade estratégica no mundo", afirmou Putin, em comunicado do Kremlin dirigido aos líderes mundiais por ocasião do Ano-Novo.

Em novembro, Trump e Putin acordaram que não há "solução militar" para acabar com a guerra na Síria.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

Litro do leite já chega a quase R$ 8 reais em algumas cidades do Brasil

De acordo com o último levantamento do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o leite longa vida acumula alta de 29,28% nos últimos 12 meses

Brasil

Presidente de Portugal marca encontro com Lula antes de almoço com Bolsonaro, que se irrita

Na tarde desta sexta-feira (1º), Bolsonaro confirmou à CNN Brasil o cancelamento da agenda devido à reunião de Rebelo com o petista. "Resolvi cancelar o almoço que ele teria comigo, bem como toda a programação", afirmou o presidente

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software