Diretor de campanha eleitoral de Trump se entrega ao FBI

Além de Paul Manafort, foi indiciado também seu ex-sócio no Leste Europeu Rick Gates

Comentar
Compartilhar
30 OUT 2017Por Folhapress19h30
Paul Manafort era diretor da campanha de Donald Trump à PresidênciaFoto: Associated Press

O ex-diretor da campanha de Donald Trump à Presidência Paul Manafort se entregou na manhã desta segunda (30) ao FBI (polícia federal americana) após ter sido indiciado por Robert Mueller, que está à frente da investigação da agência sobre a influência russa nas eleições de 2016.

Além de Manafort, foi indiciado também seu ex-sócio no Leste Europeu Rick Gates, que integrou a equipe nas eleições e ajudou a planejar a posse de Trump.

Ainda não se sabe quais são as acusações contra Manafort e Gates, mas os indiciamentos são os primeiros sinais concretos de um possível conluio da campanha de Trump com os russos durante as eleições -o que o presidente nega.

Havia uma expectativa de que Manafort, 68, fosse acusado de envolvimento desde que agentes do FBI fizeram buscas em sua casa em agosto.

O lobista republicano entrou para a equipe de campanha de Trump em março de 2016 para tentar evitar que os delegados do partido não aceitassem apoiar a candidatura do empresário.

Três meses depois, ele foi promovido a estrategista-chefe e diretor da campanha, ficando à frente de todas as operações.

Em agosto, no entanto, ele deixou o posto após a imprensa americana revelar que ele teria recebido mais de US$ 12 milhões em remessas ilegais do partido do ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovitch, líder pró-Rússia deposto em 2014.

O FBI já vinha investigando Manafort também por causa disso.

O estrategista republicano, que trabalhou como consultor político de Yanukovitch, nega o pagamento.