Com 65,3% de eficácia, Indonésia aprova uso emergencial da CoronaVac

Eficácia divulgada pelo órgão regulador da Indonésia é menor que a informada pelo Instituto Butantan

Comentar
Compartilhar
11 JAN 2021Por Gazeta de S. Paulo20h04
A Coronavac ainda não foi autorizada pela Anvisa para uso emergencial no BrasilFoto: Divulgação/Instituto Butantan

O uso emergencial da CoronaVac foi aprovado pela Indonésia na manhã desta segunda-feira (11). De acordo com o órgão regulador indonésio (BPOM), a taxa de eficácia do imunizante no país foi de 65,3%. A vacinação no país deve começar nesta semana.

A vacina é desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac que, no Brasil, contou com a parceria do Instituto Butantã. No Brasil, o índice de eficácia geral deve ser divulgado nesta terça-feira (12).

Na semana passada, o Instituto Butantan informou que a vacina tem eficácia de 78%, mas os estudos não incluem voluntários assintomáticos ou que tiveram sintomas leves da doença.

"Esses resultados estão de acordo com o requisito de eficácia mínima de 50% estabelecido pela Organização Mundial de Saúde", afirmou a chefe do BPOM, Penny Lukito. De acordo com a agência de notícia "Reuters", um servidor da agência reguladora disse que a taxa de eficácia foi determinada a partir da confirmação de 25 casos de Covid-19 entre os 1.600 voluntários dos estudos clínicos no país, mas não deu mais detalhes.

A aplicação da vacina na Indonésia está marcada para começar ainda nesta semana. O presidente Joko Widodo deve ser o primeiro cidadão a receber a dose da Coronavac. "Por que o presidente é o primeiro? Não para se colocar na frente, mas para que todos acreditem que a vacina é segura e lícita", escreveu Widodo em uma rede social.

Brasil

A Coronavac ainda não foi autorizada pela Anvisa para uso emergencial no País. Segundo a agência, o Instituto Butantan não entregou toda a documentação necessária para os trâmites legais.