Carro avança sobre Parlamento britânico e polícia suspeita de terrorismo

Ao menos três pessoas ficaram feridas

Comentar
Compartilhar
14 AGO 2018Por Folhapress11h00
Movimento no local onde um veículo se chocou contra as barreiras de segurança na frente do Parlamento britânico, em LondresMovimento no local onde um veículo se chocou contra as barreiras de segurança na frente do Parlamento britânico, em LondresFoto: ALASTAIR GRANT/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Ao menos três pessoas ficaram feridas hoje quando  um veículo bateu nas barreiras de segurança do Parlamento britânico em Londres, anunciou a polícia, que prendeu o motorista e classificou o caso como terrorismo.  

"Dado que isto parece um ato deliberado, o método, e isso sendo um ponto simbólico, estamos tratando como um incidente terrorista", disse o comissário-adjunto da Polícia Metropolitana de Londres, Neil Basu.

Por isso, o Comando Antiterrorista da polícia assumiu a investigação, informou a Scotland Yard.

"Apesar de mantermos a mente aberta, o Comando Antiterrorista da Polícia Metropolitana lidera a investigação sobre o incidente de Westminster", afirmou a força de segurança.

Em comunicado, a polícia disse que o caso aconteceu às 7h37 locais (3h37 de Brasília), quando o automóvel avançou contra pedestres e ciclistas, antes de bater nas barreiras diante do Parlamento. Nenhuma das vítimas está em estado grave.

Autoridades também afirmaram que prenderam o motorista do carro, um homem entre 25 e 30 anos. Basu disse que a prioridade no momento é descobrir a identidade do suspeito e afirmou que ele não está cooperando com a investigação.

Toda a área do incidente foi isolada pelos agentes da polícia, mas autoridades disseram que a situação está controlada e que não há mais perigo na região.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram o momento em que policiais fortemente armados cercaram o veículo de cor prata, do qual retiraram o motorista, que foi algemado. As ruas ao redor do Parlamento em Westminster foram fechadas.

Outros vídeos mostram o momento exato da detenção do motorista.

Diversas viaturas da polícia e ambulâncias foram enviadas às proximidades do Parlamento, assim como o esquadrão antibombas e cães farejadores. A estação de metrô de Westminster também foi fechada.

"Parecia um ato deliberado", afirmou Ewalina Ochab, que passava pela área no momento do incidente, à agência britânica Press Association.

"Eu estava caminhando o outro lado. Ouvi um barulho e alguém gritou. Eu virei e vi um carro prata em alta velocidade e muito perto das barreiras, talvez sobre a calçada", disse.

"A pessoa que dirigia o veículo não saiu", completou.

O Reino Unido foi cenário em 2017 de uma onda de atentados, quatro deles reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, que deixaram 36 mortos e 200 feridos. Um dos ataques aconteceu em março na Ponte de Westminster, que leva ao Parlamento.

O autor do atentado de março do ano passado, Khalid Masood, atropelou várias pessoas na ponte e avançou com o carro até as grades do Parlamento.

Depois, Masood desceu do carro, entrou na área do Parlamento e esfaqueou até a morte um policial, antes de ser morto por outros agentes das forças de segurança.

Desde então uma barreira de segurança de cimento e aço foi foi instalada ao redor das grades do Parlamento e nas calçadas que levam à ponte.