Brasileira está entre as vítimas de atentado na França, informa Itamaraty

Um agressor com uma faca matou três pessoas –duas mulheres e um homem– na basílica de Notre-Dame de Nice, na França, por volta das 9h (horário local, 5h no Brasil) desta quinta

Comentar
Compartilhar
29 OUT 2020Por Folhapress21h07
Uma brasileira de 44 anos está entre as três vítimasFoto: Reuters/Eric Gaillard/Direitos Reservados

Uma brasileira de 44 anos está entre as três vítimas de um atentado a faca ocorrido nesta quinta-feira (29) dentro da Basília de Notre-Dame de Nice, na França, informou o Itamaraty. O Ministério das Relações Internacionais não revelou seu nome, mas disse que ela tem três filhos e mora na França. Segundo a agência RFI, a vítima é a baiana Simone Barreto Silva, que vivia no país havia 30 anos e trabalhava como cuidadora de idosos.

Um agressor com uma faca matou três pessoas –duas mulheres e um homem– na basílica de Notre-Dame de Nice, na França, por volta das 9h (horário local, 5h no Brasil) desta quinta.

Segundo a polícia, uma mulher de cerca de 70 anos foi degolada, e o sacristão da igreja também foi morto a facadas dentro do edifício –ambos tinham cortes na garganta. Identificado como Vicente, ele tinha cerca de 55 anos, dois filhos e abria a igreja às 8h30 todas as manhãs.

Em nota, o governo brasileiro disse que "deplora e condena veementemente o atroz atentado".

"O presidente Jair Bolsonaro, em nome de toda a nação brasileira, apresenta suas profundas condolências aos familiares e amigos da cidadã assassinada em Nice, bem como aos das demais vítimas, e estende sua solidariedade ao povo e governo franceses", diz a nota.

O comunicado segue dizendo que "o Brasil expressa seu firme repúdio a toda e qualquer forma de terrorismo, independentemente de sua motivação, e reafirma seu compromisso de trabalhar no combate e erradicação desse flagelo, assim como em favor da liberdade de expressão e da liberdade religiosa em todo o mundo".

A nota diz ainda que o governo manifesta em especial "sua solidariedade aos cristãos e pessoas de outras confissões que sofrem perseguição e violência em razão de sua crença".

O Itamaraty disse que, por meio do Consulado-Geral em Paris, presta assistência consular à família da cidadã brasileira vítima do ataque terrorista.