Atirador abre fogo em igreja no Texas e deixa ao menos 28 mortos

Uma funcionária de um posto de combustível vizinho à igreja contou à rede CNN que ouviu cerca de 20 tiros disparados em sequência durante um culto

Comentar
Compartilhar
05 NOV 2017Por Folhapress21h05

Um homem abriu fogo em uma igreja batista no Texas, nos Estados Unidos, neste domingo (5), e deixou ao menos 28 mortos, segundo um policial federal. O xerife do condado de Wilson, Joe Tackitt, afirmou que o atirador foi morto pela polícia, mas não se sabe se ele está incluído na conta de 28 vítimas. Entre 15 e 20 pessoas ficaram feridas, segundo o comissário Paul Pheil.

Testemunhas afirmaram que o atirador entrou na Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs pouco antes do meio-dia deste domingo e abriu fogo. Uma criança de dois anos está entre os feridos, informou o site Dallas "Morning News".

Uma funcionária de um posto de combustível vizinho à igreja contou à rede CNN que ouviu cerca de 20 tiros disparados em sequência durante um culto.

A porta-voz de um hospital de Floresville, a 16 km de Sutherland Springs, afirmou à imprensa local que ao menos dez pessoas deram entrada para tratar ferimentos provocados por tiros.

Sutherland Springs, a 48 km de San Antonio, tinha cerca de 400 habitantes na época do Censo de 1990, mas sites de imobiliárias locais estimam a população atual em cerca de 700 pessoas.

Uma moradora, Alena Berlanga, disse à Associated Press que todos se conhecem na pequena comunidade. "Isso é terrível para nossa cidadezinha. Todo mundo conhece alguém que foi afetado."

O FBI (polícia federal americana) e equipes de primeiros socorros estão no local do tiroteio. Helicópteros realizam transferências de feridos para hospitais de San Antonio.

Reações

O presidente americano, Donald Trump, que está em viagem ao Japão, prestou condolências às vítimas. "Que Deus esteja com as pessoas de Sutherland Springs. O FBI e a polícia estão na cena. Estou monitorando a situação do Japão."

"Nossas orações estão com todos aqueles machucados por este horrível ato", afirmou o governador do Texas, o republicano Greg Abbott.