Moradores protestam contra a volta de Márcio Cabeça à prefeitura de Mongaguá

Márcio Cabeça era vice na chapa do então prefeito Artur Parada, que foi flagrado na operação Prato Feito, da Polícia Federal, com mais de R$5 milhões de reais ilícitos escondidos dentro do guarda-roupas da sua casa.

Comentar
Compartilhar
02 NOV 2018Por Da Reportagem16h31
Protesto de hoje (02) contra a decisão do STF de Márcio Cabeça assumir a Prefeitura.Protesto de hoje (02) contra a decisão do STF de Márcio Cabeça assumir a Prefeitura.Foto: Divulgação

Ocorreu na tarde dessa sexta-feira (02) um novo protesto dos moradores de Mongaguá contra a volta do vice-prefeito, Márcio Cabeça, ao comando da Prefeitura da cidade. Márcio Cabeça foi autorizado pelo ministro Gilmar Mendes, através de uma liminar, à assumir a condição de chefe do executivo. 

Márcio Cabeça era vice na chapa do então prefeito Artur Parada, que foi flagrado na operação Prato Feito, da Polícia Federal, com mais de R$5 milhões de reais ilícitos escondidos dentro do guarda-roupas da sua casa. Ele foi preso e cassado.

No último domingo (28) os moradores de Mongaguá puderam votar para prefeito, além dos cargos de presidente e governador. E muitas pessoas foram às urnas exercer o seu direito ao voto. Porém, o Tribunal Superior Eleitoral de São Paulo (TSE-SP) disse que o resultado dessas eleições municipais na cidade estavam 'proibidos de serem divulgados'.

 

Na sequencia, uma notificação do Superior Tribunal Federal (STF), assinada por Gilmar Mendes, garantia que Márcio Cabeça deveria assumir imediatamente o cargo de prefeito. Houve uma forte discussão na Câmara dos Vereadores da cidade, já que os parlamentares não entenderam a decisão do STF.

Muitos moradores não querem que Márcio Cabeça assuma a prefeitura e, desde a última quarta-feira, protestos estão sendo realizados em toda a cidade.

Nessa tarde (02) cinco viaturas do Batalhão de Ações Especiais da Polícia (BAEP) bloquearam parte dos acessos ao bairro Vera Cruz devido à alta concentração de manifestantes.