Mongaguá: Vereadores cobram implantação de passagens na Manoel da Nóbrega

Parlamentares acreditam que mudança pode trazer melhorias ao deslocamento da população e revitalizar lado das praias

Comentar
Compartilhar
02 AGO 2021Por LG Rodrigues08h55
Vereadores de Mongaguá querem mudanças na Padre Manoel da NóbregaVereadores de Mongaguá querem mudanças na Padre Manoel da NóbregaFoto: Nair Bueno / Diário do Litoral

A Rodovia Padre Manoel da Nóbrega pode passar por mudanças e ganhar passagem para interligar os ‘dois lados’ ao longo da extensão de Mongaguá. Ao menos é isso que alguns dos vereadores do município almejam ao buscar diálogo com autoridades estaduais desde o fim do primeiro semestre deste ano.

Autor de requerimento aprovado na segunda semana de junho, o vereador Sérgio Silvestre Rodrigues, o Guinho Silvestre (Republicanos), quer estabelecer um canal de comunicação tanto com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional quanto o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) para debater mudanças no traçado.
“No meu mandato passado eu já tinha feito um requerimento questionando sobre a privatização, sobre a terceirização daqui da rodovia e quais os benefícios a cidade teria porque a duplicação aqui da rodovia acabou dividindo Mongaguá em dois lados, lado morro e lado praia, e isso praticamente matou aqui o lado praia”, afirma Guinho.

A intenção do parlamentar e do restante da Câmara é buscar uma maneira de voltar a unificar ambos os lados da via com a intenção de facilitar e agilizar tanto o transporte público quanto outros setores municipais.

“Até a Câmara aqui ainda tem ‘vida’, mas ao passar ‘para lá’, acabou matando esse lado e, poxa, você ter uma cidade praiana, com o lado de praia praticamente morto não é bom. Antes da Câmara aqui os carros passam pela rotatória, tem a passagem por baixo e eles vão para o outro lado do morro, entende?” explica.

Até o momento, o Estado ainda não bateu o martelo a respeito da situação, mas o vereador afirma que já houve debates em outros momentos sobre a implantação de uma ou ao menos duas passagens que ‘cortem’ a rodovia, mas Guinho afirma que este não seria um número suficiente para atender as necessidades de Mongaguá.

“A gente precisava no mínimo de quatro, até pra a gente fazer essa interligação ‘praia e morro’ que eu falei pra podermos dar vida pro lado praia. A ideia seria [uma passagem] ali no Balneário Flórida Mirim, que é o a nossa divisa com Itanhaém, no Agenor, por ser o bairro mais populoso, outra pegando ali o Balneário Itaóca e Jussara, entre esses dois bairros, e ali no Jardim Praia Grande”.

O parlamentar afirma que a instalação de passagens é tópico de conversas com moradores do município tanto dentro quanto fora da Câmara.

“Eles [munícipes] também veem a necessidade né? Porque é que nem eu falei, a passagem seria, na pista, ter o retorno ou essas passarelas por cima. A gente vê muitas pessoas atravessando a pista por não existirem essas passagens”.

Apesar de ainda não existir um plano definido sobre os possíveis futuros equipamentos, o vereador também dá, como exemplo, as passagens existentes em Praia Grande que permitem a circulação de motos e automóveis por baixo da pista.

“Até em questão do transporte público deve melhorar. Você pega, como por exemplo, o transporte público. Aqui, praticamente no Jardim Aguapeu, que é o começo da cidade, ele vira e entra aqui e, quase nenhuma linha de lotação faz essa parte [do traçado] porque o pessoal atravessa para pegar transporte na Monteiro Lobato”, conclui.

Até o momento, o Legislativo ainda não recebeu retorno do Governo do Estado, mas o vereador tem expectativa que autoridades da esfera entrem em contato em breve. Dentre os parlamentares, existe o consenso que a não implantação das passagens pode causar situações de caos na região.