Jipeiros de Ilhabela cobram participação em plano de retomada da economia

Eles fizeram nota de repúdio e manifestação contra medidas já anunciadas

Comentar
Compartilhar
28 MAI 2020Por Mara Cirino17h26
Prefeita Gracinha recebe representantes de jipeiros e donos de imóveis de aluguelFoto: Marcio Pannunzio/NovaImprensa

Mais de 70 jipeiros de Ilhabela realizaram uma manifestação, na última quarta-feira  (27), para que pudessem ser ouvidos pela administração pública. Eles percorrem as principais ruas do arquipélago, passando pela balsa, rotatória do Itaguassú, até chegarem ao Paço Municipal. A categoria quer saber como fica até a retomada das atividades no pós-pandemia do novo coronavírus (Covid-19). 

A Associação dos Jipeiros de Ilhabela já havia feito uma nota de repúdio à Prefeitura onde questionava a criação de uma plataforma digital de cadastramento dos operadores. “Ocorre que a Secretaria de Turismo fez a plataforma sem nem ao menos conversar com a gente”, disse o presidente da entidade, Fernando Rodrigues Mendes. 

Na nota, ele disse acreditar que “este dispositivo gerará reserva de mercado e conflita com a lei de livre mercado ferindo a Lei de Liberdade Econômica”. Ele acrescenta, ainda, que a criação do sistema não poderia ter sido feita de maneira impositiva e sem as considerações da categoria “porque não prevê soluções de problemas do nosso cotidiano por ser uma operação de grande logística e desempenho humano, onde temos know–how de mais de 25 anos em operação em estrada precária”, alertou o presidente. 

Como não obtiveram resposta a essa demanda, o grupo optou pela manifestação até ser recebido pela prefeita Maria das Graças Ferreira, a Gracinha Ferreira, a secretária de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Bianca Colepicolo, e o secretário de Planejamento e Gestão Estratégica, Luiz Lobo, o que se deu no final da tarde de quarta-feira. 

 

“Fizemos uma comissão e aproveitamos a oportunidade para discutir melhorias nos nossos atrativos naturais que pleiteamos desde 2018, nas portarias e trilhas, bem como no receptivo turístico de navios, onde nos colocaram misturados com carros”, disse o presidente da Associação. 

A prefeita Gracinha recebeu uma comissão de jipeiros e outra de donos de casas de aluguel para tratar as medidas e propostas para a retomada da economia e sugeriu a criação de dois grupos de trabalho, com cinco pessoas representantes de cada categoria, para participar das reuniões de elaboração do projeto, junto com a prefeitura e integrantes da sociedade civil.

“Podem ter certeza que a intenção da prefeitura não é prejudicar ninguém. Hoje temos um desafio grande, de todos nós, de preservar vidas. A nossa intenção é a segurança de todos”, disse Gracinha Ferreira ao garantir aos presentes que ninguém seria prejudicado.