Exame de prefeita de Ilhabela dá negativo para Covid-19

Na semana passada, ela passou mal com uma forte gripe e foi submetida ao teste rápido que testou positivo

Comentar
Compartilhar
05 AGO 2020Por Mara Cirino19h51
A prefeita já voltou a atender no gabineteFoto: DIVULGAÇÃO

A Prefeitura de Ilhabela informou que o resultado do exame (PCR) da prefeita Maria das Graças Ferreira dos Santos Souza, a Gracinha, 59 anos, deu negativo para a Covid-19.

De acordo com a assessoria, a prefeita passa bem e retorna às atividades a partir desta semana, depois de cumprir o período de isolamento preconizado pelo Ministério da Saúde, devido aos sintomas apresentados (síndrome gripal).

Na semana passada, ela passou mal com uma forte gripe e foi submetida ao teste rápido que testou positivo. Por isso, ela ficou em quarentena e fez o exame RT-PCR (Swab) para confirmar se tinha anticorpos para o novo coronavírus.

Segundo a saúde, o município de Ilhabela registrou até o momento 992 casos da doença, sendo oito óbitos, 689 recuperados e 52 aguardando resultado do Instituto Adolfo Lutz.

O RT-PCR é o exame que identifica o vírus e confirma a Covid-19. Ele deve ser realizado no início da doença, especialmente na primeira semana, quando o paciente possui grande quantidade do vírus Sars-CoV-2.

As amostras são coletadas através de swabs (cotonetes) de nariz e garganta. A abordagem do exame, no momento, é do profissional de saúde que está atendendo o paciente no hospital, ambulatório ou consultório. Isso porque é preciso saber a fase da doença para a coleta da amostra.

“Se o vírus Sars-CoV-2 for pesquisado muito precocemente após o contato suspeito, o indivíduo pode estar infectado, mas ainda sem vírus detectável (resultado de RT-PCR falso-negativo). O mesmo resultado pode ser encontrado se a amostra for coletada após o desaparecimento do vírus (mais de 3 semanas de doença)”, explica a professora do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG, Glaucia Queiroz Andrade, consultora técnica do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina (Nupad).

Os resultados dos testes devem ser sempre avaliados por um profissional de saúde, que pode solicitar a repetição do exame ou a realização de outros exames.

Enquanto o RT-PCR deve ser realizado no início da doença, os testes sorológicos são feitos a partir da segunda semana, quando a quantidade de vírus diminui progressivamente e o indivíduo produz anticorpos contra o vírus, principalmente das classes IgG e IgM.

Os anticorpos da classe IgM são mais precoces e podem ser detectados a partir da segunda semana de infecção. Já os da classe IgG aparecem mais tardiamente, geralmente após 14 dias da infecção, e persistem por mais tempo.

Os testes de sorologia tradicional para identificar os anticorpos são obtidos nas amostras de soro após punção venosa, realizada em laboratório. Também podem ser obtidos em testes rápidos (imunocromatográficos), realizados em sangue capilar obtido por punção digital.