Cobra jararacuçu de 2 metros é resgatada e solta em Caraguatatuba

Policiais ambientais foram acionados para retirar a serpente que estava em uma casa do Casa Branca

Comentar
Compartilhar
22 SET 2020Por Mara Cirino16h20
Policiais ambientais usaram técnica de manejo para resgatarem a cobra da residênciaFoto: Polícia Ambiental

Uma cobra da espécie Jararacuçu (Bothrops jararacussu) foi resgatada, nesta terça-feira, em uma casa no bairro Casa Branca, na região norte de Caraguatatuba, Litoral Norte paulista. 

Os moradores acionaram os policiais militares da 3ª Companhia de Polícia Militar Ambiental Terrestre, que atuavam na ‘Operação Jequitibá’ para retiram a serpente. 

No local, ele identificaram a  espécie que estava no quintal da residência escondida entre as folhagens do jardim. 

A Jararacuçu é uma serpente venenosa que pertence à família dos viperídeos e pode chegar a dois metros de comprimento. Na língua tupi-guarani, "jarara" significa “o bote da cobra”, e "uçu” ou “ussu" grande, longo.

 A espécie é considerada muito perigosa, pois sua picada pode injetar uma grande quantidade de veneno. Ela possui uma dieta composta principalmente por pequenos mamíferos, aves e anfíbios.

 

Os policiais ambientais que participaram do resgate utilizaram técnicas de manejo de animais silvestres para capturar a serpente, sem causar ferimentos. Ela foi solta em seu habitat natural, longe de residência e circulação de pessoas.

A Polícia Ambiental atenta que as serpentes são muito importantes no meio ambiente porque, ora presas, ora predadoras, elas colaboram para o equilíbrio do ecossistema, além de serem aliada no controle de doenças, pois combatem os roedores. 

“Sem contar que seu veneno é empregado em inúmeras indústrias para produção de medicamentos para tratamento de câncer, hipertensão, cola cicatrizante, analgésicos e para fabricação de soro contra os efeitos malignos da sua picada no organismo humano”.

Denúncias ou pedidos de ajudam podem ser feitas pelo telefone (12)3886-2200.