Vacinação é segura e população deve se proteger contra doenças infectocontagiosas

Mitos contra a imunização afastam muitas pessoas de tomar vacinas que protegem contra várias doenças

Comentar
Compartilhar
24 JUL 2018Por Da Reportagem10h21
No próximo dia 4 de agosto começa a vacinação em Itanhaém contra sarampo, caxumba, rubéola e tríplice viralNo próximo dia 4 de agosto começa a vacinação em Itanhaém contra sarampo, caxumba, rubéola e tríplice viralFoto: Divulgação/PMI

Doenças como sarampo, rubéola, coqueluche e poliomielite podem ser evitadas e há vacinas para isso. Porém, a população ainda acredita em alguns mitos contra a imunização e acaba não se prevenindo como se deve. A caderneta de vacinação deve estar em dia para que enfermidades como sarampo, por exemplo, que está voltando em alguns estados do país, seja novamente erradicado, e a melhor maneira é prevenindo-se.

No próximo dia 4 de agosto começa a vacinação em Itanhaém contra sarampo, caxumba, rubéola e tríplice viral. Crianças entre 12 meses e menores de 5 anos devem ser imunizadas. O sarampo é uma das doenças mais contagiosas e transmitida por gotas no ar ou contato direto com secreções do nariz, boca e garganta de indivíduos infectados.

Os sintomas consistem em febre alta, erupção cutânea generalizada em todo o corpo, nariz entupido e olhos avermelhados. Pode causar complicações graves, como cegueira, encefalite, diarreia grave, infecções de ouvido e pneumonia, especialmente em crianças com problemas nutricionais e pacientes imunodeprimidos.

De acordo com o Ministério da Saúde, as vacinas são muito seguras e a maioria das reações são geralmente pequenas e temporárias, como um braço dolorido ou uma febre ligeira. Portanto, mitos como efeitos colaterais; vacinas que causam síndromes ou a erradicação da doença não são desculpas para não ser imunizado, já que os agentes podem atravessar fronteiras geográficas e infectar qualquer pessoa que não esteja protegida.

Em Itanhaém, as imunizações acontecem nas Unidades de Saúde da Família (USF). Para ser imunizado, seja criança ou adulto, em campanha ou não, basta se dirigir à USF mais próxima de sua residência e se informar sobre os horários da sala de vacina.