Tartaruga Gigante volta e deposita mais ovos em praia de Itanhaém; veja vídeo

Da mesma forma, a tartaruga também levou cerca de 3 horas entre a deposição dos ovos e o retorno ao mar

Comentar
Compartilhar
06 MAR 2021Por Da Reportagem10h40
A tartaruga de couro (Dermochelys coriácea), ou Tartaruga Gigante, voltou à cidade e depositou mais ovos nas areias da praia da cidadeA tartaruga de couro (Dermochelys coriácea), ou Tartaruga Gigante, voltou à cidade e depositou mais ovos nas areias da praia da cidadeFoto: Divulgação

A mesma tartaruga que depositou seus ovos em um ninho na faixa de areia do bairro do Suarão, no último dia 19 de fevereiro, voltou na noite passada (5) e formou novo ninho na praia do Satélite. Por mais incrível que possa parecer, a tartaruga de couro (Dermochelys coriácea), ou Tartaruga Gigante, voltou à cidade e depositou mais ovos nas areias da praia.

Segundo o biólogo do Instituto Biopesca, Rodrigo Vale, trata-se de fato raríssimo e que chama muita atenção, já que há duas semanas a mesma tartaruga havia formado um ninho a pouco mais de 2 quilômetros dali. “Agora temos 2 pontos de monitoramento, e este segundo nos dá maiores perspectivas já que o local possui melhores características em todos os sentidos do que o primeiro”, relata.

Da mesma forma, a tartaruga também levou cerca de 3 horas entre a deposição dos ovos e o retorno ao mar.

Grande número de curiosos acompanhou todo o processo. Especialistas do Biopesca fizeram esforços para que as pessoas que se aproximavam não utilizassem qualquer tipo de iluminação para que o animal não sofresse nenhum estresse e pudesse voltar ao mar com tranquilidade.

Os técnicos também fizeram a inspeção do ninho e encontraram os ovos, contudo não conseguiram estimar a quantidade, “para a cidade é um presente de Deus. A Secretaria de Meio Ambiente prestará todo apoio e suporte para que em breve possamos comemorar o nascimento das pequenas tartarugas”, explica César Ferreira, secretário de Planejamento e Meio Ambiente.

Ainda segundo o Ferreira, “estamos na Década do Oceano, determinado pela ONU, que visa a conscientização das pessoas quanto ao descarte de lixo no mar. O fato dela ter voltado é uma dádiva de Deus”, relata.

Identificação

Há 14 dias, quando a tartaruga esteve pela primeira vez na cidade, técnicos do Instituto Biopesca introduziram uma marcação no animal com uma anilha que tinha um número de série, além de colher outras informações importantes. Hoje, os técnicos constataram que se tratava do mesmo animal, que mede 1,77m e pesa cerca de 300 quilos. “Se trata de um animal adulto, com no mínimo 30 anos em razão dela já estar em fase de desova”, afirma Rodrigo do Biopesca.

Monitoramento

O Instituto Biopesca é uma das instituições executoras do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos. O projeto é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. O Instituto Biopesca monitora o Trecho 8, compreendido entre Peruíbe e Praia Grande.

Para acionar o serviço de resgate de mamíferos, tartarugas e aves marinhas, vivos debilitados, ou mortos, entre em contato pelos telefones 0800 642 3341 (horário comercial) ou (13) 99601-2570 (WhatsApp e chamada a cobrar). Para mais informações, acesse www.comunicabaciadesantos.com.br.