Restaurantes e bares de Itanhaém passam a funcionar até as 22h

Norma segue diretriz do Plano SP, no qual a Baixada Santista ocupa uma posição na Zona Amarela

Comentar
Compartilhar
14 AGO 2020Por Da Reportagem12h40
Medida entrou em vigor na última terça-feira (11), após publicação de decreto que oficializa as novas regrasFoto: Divulgação / Prefeitura Municipal de Itanhaém

Após anúncio do governo estadual para aumentar a flexibilização dos estabelecimentos do setor de alimentação, Itanhaém, que permanece na Fase Amarela há 30 dias consecutivos, se adequará à recomendação do Plano São Paulo e permitirá o funcionamento de restaurantes, bares e similares até as 22 horas, com limite de abertura de seis horas e protocolos de segurança. As medidas começaram a valer na última terça-feira (11), após publicação de decreto que oficializa as novas regras.

Entre as determinações para a abertura dos estabelecimentos, enquanto durar a pandemia de coronavírus estão a ocupação máxima de 40% da capacidade dos assentos (com reserva de mesas antecipadas), o uso de máscaras, o distanciamento social e a disponibilização de álcool em geral para a higienização das mãos. Além disso, o consumo no local continua autorizado para ambientes arejados ou ao ar livre. Vale ressaltar que não é permitida a permanência de clientes em pés.

Antes da decisão, os estabelecimentos deste setor só podiam abrir até as 17 horas. Segundo o governo de São Paulo, profissionais do Centro de Contingência de Combate constataram que não houve impacto negativo nos indicadores epidemiológicos com a retomada parcial do consumo em restaurantes em regiões que estão na Fase Amarela do Plano São Paulo.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Eliseu Braga Chagas, entende que a medida amplia o plano de retomada econômica e dá melhores condições aos trabalhadores da Cidade. “Engrossamos nosso pedido junto ao Centro de Contingência para a flexibilização de estabelecimentos que funcionam no período noturno, como pizzarias, hamburguerias e restaurantes japoneses. A medida é importante para a recuperação da economia e dos empregos”.

Assim como o Estado, a Prefeitura montou estratégias de reabertura em cinco fases apresentadas por cores: vermelha (alerta máximo), laranja (controle), amarela (flexibilização), verde (abertura parcial) e azul (normal controlado). A Cidade só poderá passar por uma reclassificação de etapa – com restrição menor ou maior – após 14 dias do faseamento inicial, desde que mantenha os indicadores de saúde estáveis.

Para manter o progresso nas fases são levados em consideração o cenário de pandemia na Cidade e o comprometimento na capacitação do sistema de saúde; como ocupação de leitos de UTI, variação de internações e óbitos.

O último levantamento realizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, baseado em dados da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp), mostrou que 12.633 empresas estão instaladas na Cidade.