Para conter o avanço das marés, Itanhaém implanta barreiras de contenção nas praias

Procedimento freia a velocidade da água do oceano, diminuindo, assim, o desgaste causado por ela na área costeira urbanizada

Comentar
Compartilhar
13 AGO 2020Por Da Reportagem11h40
Até o momento, as intervenções aconteceram na praia do Centro e na Boca da BarraFoto: Divulgação / Prefeitura Municipal de Itanhaém

Uma resolução está sendo implantada pela Prefeitura para conter as fortes ressacas e o avanço da maré, a fim de evitar o desmoronamento da orla no município. Trata-se da colocação de barreiras de contenção, um conjunto de rochas, lançadas umas sobre as outras, para servir como quebra-mar e proteção contra a erosão das ondas. Até o momento, as intervenções aconteceram na praia  do Centro e na Boca da Barra.

Logo após, as barreiras de contenção serão instaladas pelas equipes da Secretaria Municipal de Serviços e Urbanização nas orlas dos bairros do Satélite, Savoy, Nova Itanhaém e Suarão. “A alta da maré e a ressaca torna o mar muito violento, fazendo com que as ondas atinjam a faixa da orla. O procedimento freia a velocidade da água do oceano, diminuindo, assim, o desgaste causado por ela na área costeira urbanizada”, explica o secretário da pasta Vinícius Camba de Almeida.

Itanhaém têm aproximadamente 26 quilômetros de praias, baías, pequenas enseadas e costões rochosos, sendo ao todo, 14 praias. A força da ressaca marítima, considerada fenômeno natural, é causada por ventos fortes que fazem o nível do oceano subir e chegar em velocidade crescente ao litoral. As ressacas podem ocorrer em qualquer época do ano. Entretanto, é mais comum durante o inverno e a primavera, quando a formação dos ciclones extratropicais ocorre com maior frequência.