Greve deixa população sem ônibus em Itanhaém

Funcionários da empresa Litoral Sul estão em greve, por tempo indeterminado, devido aos atrasos nos salários

Comentar
Compartilhar
17 NOV 2020Por Nayara Martins07h00
Uma das alternativas da população, no ponto da avenida Rui Barbosa, é usar o bondinhoFoto: Nayara Martins/DL

Moradores sofrem mais uma vez com a falta de transporte urbano em Itanhaém. Funcionários da empresa Litoral Sul, responsável pelo transporte coletivo na cidade, entraram em greve, desde a manhã de ontem (16), por tempo indeterminado, devido aos atrasos no salários e outros benefícios.

Usuários dos ônibus ficaram bastante surpresos. Alguns estavam nos pontos por mais de uma hora.

Um exemplo é a educadora Kátia Silva, moradora no Gaivota, que já estava no ponto há cerca de meia hora. "Já não tínhamos ônibus para o Gaivota, que só passa de hora em hora, agora vai ficar bem pior. O jeito é usar as vans que fazem o transporte alternativo", comenta.

Outros moradores reclamaram da falta de ônibus. Uma das alternativas também foi usar o bondinho, que serve como transporte de turismo na cidade.

A aposentada Glória Martins, do bairro Suarão, já estava à espera de condução por mais de uma hora. "É um problema grave, temos que fazer um abaixo-assinado para protestar, já que não dá mais para ficar nesta situação sem ônibus na cidade", protesta.

O aposentado Gustavo Alves, do bairro Vila Loty, também não sabia da greve e esperava há mais de meia hora no ponto. "A situação já estava difícil, pois quase não tem ônibus para o Loty. Espero que o próximo prefeito tome uma solução definitiva para o setor transporte", salienta.

No dia 23 de outubro deste ano, a empresa Litoral Sul já havia paralisado os serviços e tirou os ônibus de circulação, alegando falta de combustível.

ATRASOS.

O Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário de Santos e Região explica que os funcionários entraram em greve por causa de atrasos nos salários, na cesta básica, no vale-refeição, no plano de saúde e também nos depósitos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

O presidente do Sindicato, Valdir de Souza Pestana, publicou um edital na quarta-feira (11) avisando os usuários e as autoridades sobre a greve. A diretoria do Sindicato esteve na terça-feira (10) na cidade organizando a categoria e conversando com a direção da empresa e com o prefeito Marco Aurélio Gomes (PSDB).

A empresa opera há 27 anos e 11 meses no município. Segundo Pestana, o prefeito exigirá o reaproveitamento dos trabalhadores, caso haja a revogação do contrato e a contratação de nova empresa.

A Litoral Sul tem 45 veículos em 25 linhas com 150 funcionários, sendo 110 motoristas, 32 na manutenção e oito no escritório.

Conforme informações do sindicato, essa já é a quinta greve desde 2019, sempre pelos mesmos motivos. O pessoal está 100% parado. A diretoria do sindicato mantém o Jurídico de plantão e aguarda liminar da Justiça do Trabalho sobre o número mínimo de veículos em circulação.

PREFEITURA.

A prefeitura de Itanhaém informa que entrou, nesta segunda-feira (16), com um pedido de liminar na Justiça do Trabalho, para que seja restabelecido o serviço à população, mas estranha a empresa Litoral Sul não ter se manifestado com o pedido de liminar para que os serviços não sejam paralisados integralmente.

A Administração também informa que está avançando para realizar a rescisão contratual da empresa, em virtude dos constantes prejuízos causados à população de Itanhaém. (Nayara Martins)